Categoria: Wedding advices

Obedience and Submission in marriage: the two ugly words no one ever explained/understood well.

Wedding advices

Obedience and Submission in marriage: the two ugly words no one ever explained/understood well.

Growing up in a Christian environment, there are terms you become familiar with. As I grew up and heard more and more about love, relationships, marriage, Obedience and Submission became two very popular terms.

 

These words never applied to me

I was always a bit of a rebel, in spite of my faith. I wanted things my way and also a boyfriend, partner and husband that would treat me with respect. This means that every time these words were uttered, I’d twist my nose and silently think “Hum… that is not for me! I will not become smaller for a man!

Until the day a Pastor had the kindness to speak about it with love and patience with me: To explain how this whole submission thing works. What does it really mean. How you should really live it as a couple. and as much as I found it surprising, they gained a new meaning in me.

 

The right meaning of Obedience and Submission

Regardless of how much the world has evolved, most societies are still slightly (or not so) sexist. Women (married women) are expected to behave in a certain way, to do certain things and turn into a more invisible element in this duo.

The wrong partner will do that. He will silence your voice, he will take away your light, and you will, slowly but steadily, loose sight of who you are… were.

The right partner will, however, give you room to grow.

Imagine your relationship as a garden, here you will have enough space for your roots to spread and become the best version of yourself.

Being obedient and submissive is not loosing sight of who you are, what you want, your thoughts, wishes, dreams or desires. Obedience is, above all, to the commitment you made to each other, to the vows you exchanged, to the “I Do” you said years ago in front of your friends and family. Submission is the understanding that you are no longer alone in this life and all your decisions have a direct impact on someone else’s life, dreams, goals, which means you need to talk about things and, many times, give in for the sake of the other person’s happiness. The words apply to both. Not just to the woman.

Both these terms are bound to Love. And that has to be what keeps you together.

 

No one wins in a relationship. It should be fair and equal (and that is rebel!).

Nowadays, I see more and more relationships that just don’t work out because we are so eager to hold our ground, to show who is in charge, to prove that “I am right!“, that we loose sight of what really matters.

Be rebel about everything. Your engagement proposal, your wedding day, your honeymoon, your house decor and even how you raise your kids. And when it comes to commitment, to love, both of you should be Rebels on how much you love, you give, you are there, all of you, and how much you couldn’t care about ego, because what matters, always, is love. This is how I now see the two ugly words, and after learning their right meaning, they make sense to me, because they call for equal love and commitment. I realise seeing their right meaning, makes us rebel, when most people/societies still see them in a sexist way.

Love in a Rebel Way!

Featured image: Produgg.com

assinatura_pv

***

Crescer num ambiente cristão faz com que determinados termos se tornem familiares. Quando, já mais velhinha, comecei a ouvir falar de amor, relacionamentos, casamento, as palavras Obediência e Submissão passaram a fazer parte do vocabulário.

 

Sempre senti que estas palavras não se aplicavam a mim

Fui sempre um pouco rebel, apesar da minha fé. Queria as coisas à minha maneira e isso traduzia-se num namorado (e futuro marido) que me tratasse com respeito e com valor. Assim, cada vez que estas palavras era proferidas, eu torcia o nariz e pensava com os meus botões “Humm… isso não é para mim! Não me vou diminuir por nenhum homem na terra!”

Até ao dia que um Pastor teve a generosidade e paciência de me falar destas coisas com amor, explicando-me pacientemente o que é que significavam e como é que um casal as devia viver. E surpreendentemente, depois de uma boa explicação, ganharam em mim um novo significado.

 

O verdadeiro significado de Obediência e Submissão

Independentemente de quanto o mundo evoluiu, a maioria das sociedades são ainda um pouco (ou muito) machistas. Quando se casam, as mulheres devem passar a ser, comportar-se e agir de uma certa forma, eliminando-se um pouco (ou muito) pelo marido, pelo lar, pelos filhos.

Se escolheres o parceiro errado, muito provavelmente é isto que vai acontecer. Ele vai silenciar a tua voz, apagar a tua luz, e, lentamente, vais perder-te de quem és… 

O parceiro certo, no entanto, dar-te-á espaço para crescer.

Imagina a vossa relação como um jardim, terás espaço para as tuas raízes se estenderem e te tornares continuamente numa melhor versão de ti mesma.

A obediência e submissão numa relação não significam perder de vista quem tu és, o que queres, os teus sonhos ou desejos, como tanto se ouve falar. Obediência é, acima de tudo, ao compromisso que fizeram um ao outro, aos votos que trocaram, ao “Sim” que disseram à frente de amigos e família. Submissão é compreenderes que já não estás sozinha/o nesta vida e que as tuas decisões e escolhas têm um impacto direto na vida de outra pessoa, nos seus sonhos e objetivos e que por isso, deves decidir em conjunto, devem ceder um ao outro. Estas palavras aplicam-se aos dois. Não apenas à mulher.

E o mais bonito é que estes dois termos estão ligados, são filhos do Amor. São consequência direta de um amor real entre duas pessoas que se escolheram.

 

Ninguém ganha numa relação. Ela deveria ser justa e igual para os dois (e isto é rebel).

Numa altura em que vemos cada vez mais relações que não funcionam porque queremos ter razão, defender a nossa ideia, não ceder, provar “quem manda aqui!”, o amor vai-se perdendo de vista, e com ele, tudo o que importa.

Sê rebel em tudo. No teu noivado. No teu dia de casamento. Na tua lua de mel. Na decoração da tua casa e na educação dos teus filhos. E quando se trata de compromisso, de entrega, de amor, a única coisa em que deves ser rebel, é na quantidade em que se dão, em que estão presentes, em que atiram pela janela o ego, porque o que importa, sempre, é o amor. Isto é como eu agora vejo as duas palavras “feias”, e depois de aprender este significado, passaram a fazer sentido na minha vida e no que procuro num parceiro, porque evocam amor e os mesmo direitos. Cheguei à conclusão até de que sou uma rebel porque as vejo assim, enquanto que muitas pessoas e sociedades machistas ainda têm muito que aprender.

Ama de forma Rebel!

A different but special wedding gift: A Hammock!

Wedding advices Wedding Inspiration

A different but special wedding gift: A Hammock!

Wedding gifts are always a hard task. Either we give money to the bride and groom in a pretty envelope, or search for what is available on their gift list, or think of something they haven’t got at home, and the list goes on. Personally, I like to try to be creative with every couple and give them something a little more unexpected, that brings them together and that other guests wouldn’t think of. But last year, I was blown away with one gift we received at our wedding and that beat all my presents: a hammock for 2!

How did I not think of that before? How could such a simple present be so special and unique?!

 

How it all happened

There is actually a funny story attached to it. My friends Taylor and Jeannette from Washington DC ordered a fabulous camping hammock for us online and had it sent to our home in Portugal, but the order was split in two, and they had no idea it had happened… so we received the ropes first!

I remember the mail man came really early in the morning, rang the door bell and got me off of bed in a sudden jump. I signed the package and was really curious to see what our friends were sending us… to find a beautiful card with a sweet message for us to enjoy more of our time together… and ropes! I looked at it and thought “whaa…?”. All naughty thoughts came into my head, of course, but I understood that something wasn’t right.

A few days later, Taylor sent me a message saying something else was coming our way and that him and J. had laughed uncontrollably when they found out the ropes had arrived before.

We waited, and another few days later, a hammock arrived to our home. We loved the fact that it was so big but fit in a tiny bag, so easy to carry around. With it, a message inspiring us to always remember to slow down and spend some time together. It said that him and Jeannette loved carrying their hammock everywhere when they went on their travels, and that whenever they could, they’d set it up (with the ropes, ha!) and spend some time relaxing and talking to each other. I was instantly in love with our gift. And as soon as we could, we tried it out! So much fun!

 

Show you truly care

This was one of the most beautiful gifts we received as couple… EVER. More than any money in the world, nothing beats thoughtfulness and care. Nothing beats a love message and bringing the couples together when everything around us is hectic and crazy.

Today’s post is here to help you get inspired if you ever feel kinda lost on what to give a couple for their wedding. It doesn’t have to necessarily be a hammock if, but showing you care for them and their relationship is one of the best wedding gifts they will ever receive (and there are beautiful macrame hammocks for the living room too, actually!) and I promise you they will never forget it.

 

How can I find the perfect gift for my friends who are getting married?

Well, first, you can always search for the things they really need… If they are moving in together after the wedding, it would be nice to help them get what they don’t yet have, but if they have been living together for a while, don’t need any home goods, why not think of something creative? Here are a few ideas:

  • See if there is any experience they’d like having on their honeymoon, like that dancing lesson, surfing classes or wine tasting;
  • Think of something that can bring them together even more. The hammock worked wonders for us;
  • Get them a custom made present that can never be copied, like a painting of the two of them, with lots of symbols that are only theirs;
  • Or, you can always observe them more. See what makes them tick when together, and you’ll definitely find something really special that only applies to them!

Go ahead and have fun!


Don’t worry T&J, we won’t give you a hammock as a wedding gift! You already have one! ha! Thank you, once again, for our lovely present.

Photos: From our hammock and us, through my iPhone.

Assinatura_AL

***

Prendas de casamento são sempre uma tarefa complicada de encontrar. Ou oferecemos dinheiro aos noivos num envelope catita, ou espreitamos na lista de prendas que eles deixaram feita online, ou pensamos em algo que eles ainda não tenham em casa, e a lista continua. Eu sempre gostei de pensar em coisas diferentes e criativas, que não pudessem ser recriadas e que fossem especiais e únicas… mas no ano passado, recebemos uma prenda pelo nosso casamento que pessoalmente bateu todas as que já oferecemos: uma rede! Uma rede daquelas para nos deitarmos ao relento, e para casal!

Como é que eu nunca me lembrei de algo assim? Tão simples e com um significado tão especial?

 

Como tudo aconteceu

Na verdade há uma história muito gira por detrás disto! Os nossos amigos Taylor e Jeannette de Washington DC encomendaram uma rede para dois e enviaram-na para nós em Portugal como prenda de casamento, mas mal sabiam eles que a prenda tinha sido dividida em duas, e que receberíamos primeiro as cordas para a atarmos!

Eu lembro-me de ser muito cedo de manhã, de a campainha tocar e de me acordar de rompante. Fui à porta, assinei pela encomenda e fiquei instantaneamente curiosa para saber o que nos tinham enviado os nossos amigos dos Estados Unidos. Tal não foi a minha surpresa quando vi que eram cordas (eu não tinha percebido de quê), com um bilhete a dizer algo como “para apreciarem mais o vosso tempo a dois”. É claro que todo o tipo de malandrices me passaram pela cabeça, mas percebi logo que aquilo não poderia ser a prenda toda.

Uns dias mais tarde recebi uma mensagem do Taylor a dizer que ele e a namorada se tinham partido a rir quando descobriram que as cordas tinham chegado primeiro, e que mais qualquer coisa ainda vinha a caminho!

Assim, uns dias mais tarde recebemos uma rede de campismo! Adorei o facto dela ser tão grande e resistente mas cabe num saquinho pequenino. É tão fácil de transportar. Com ela, vinha uma mensagem que nos inspirava a nunca esquecermos que é importante abrandarmos e passarmos tempo juntos enquanto casal. Dizia também que ele e a J tinham o hábito de trazerem sempre a rede com eles nas suas viagens, e que sempre que podiam, usavam-na para relaxar e conversar. Eu apaixonei-me logo por aquela prenda, passou a ser das nossas preferidas de sempre, e assim que tivemos a oportunidade, testámos!

 

Mostra que realmente te importas

Mais do que todo o dinheiro no mundo, nada bate mostrares que te importas com os teus amigos, e que pensaste neles com carinho quando escolheste a prenda. Nada bate uma mensagem de amor e unir os casais, tentar lembrar-lhes do quão importante é passarem mais tempo só os dois quando vivemos nos tempos loucos que correm. 

O post de hoje serve para te tentar inspirar a ti desse lado, que tens casamentos para breve e não sabes o que oferecer aos teus amigos ou familiares prestes a dar o nó. É óbvio que não tem de ser uma rede (especialmente se eles não gostam de estar lá fora), mas mostrar que investiste tempo a pensar e arranjar a prenda que melhor se adequa a eles é muito especial (já agora, existem redes para dentro de casa também!).

 

Como é que posso encontrar a prenda perfeita para os meus amigos que se vão casar?

Bem, primeiro podes sempre tentar perceber quais são aquelas coisas de que eles realmente precisam… Se é que se estão a juntar apenas agora na altura do casamento, é possível que precisem mesmo de coisas para a casa, mas se já vivem juntos e dizem que já têm “tudo”, porque não pensar em algo mais criativo? Aqui estão algumas ideias:

  • Vê se existe alguma experiência especial que lhes podes proporcionar na lua de mel, como aquelas aulas de dança que eles sempre quiseram fazer, a aula de surf ou a prova de vinhos;
  • Pensa em algo que depois de passar a “bolha dos recém casados” pode ajudar a mantê-los unidos e a terem tempo de qualidade só os dois (como a Rede funciona connosco);
  • Arranja algo muito pessoal, feito de raiz e inspirado só nos dois, como um quadro ou ilustração com detalhes deles;
  • Ou podes sempre observá-los mais. Ver o que é que os entusiasma enquanto casal, e de certeza que num instante descobres a prenda perfeita que só se aplica aos dois!

Força nisso! 😀


Não se preocupem J&T, nós não vos vamos oferecer uma rede pelo vosso casamento! Sabemos bem que já têm uma! Ha! Obrigada mais uma vez pelo nosso lindo presente!

 

How to care for a friend’s heartbreak while being happy about your wedding

Friends&Family Wedding advices

How to care for a friend’s heartbreak while being happy about your wedding

One of the hardest things to do when you are flying in the clouds of bliss with your engagement or wedding is attend to someone’s heartbreak.

When we are happy, the last thing we want is to be around negative feelings or thoughts, but we have all had that moment when our relationship couldn’t be better, our heart couldn’t be more filled with love, and suddenly a close friend suffers a major heartbreak.

So how can you deal with it? How can you stay in your bubble of joy and love and, at the same time, be there for someone who needs you?

Let me tell you my story and Ana Luísa’s. A year ago, unexpectedly, my relationship crashed and burned. I was devastated. The next day she called me and I said I was not ok, she asked no questions. She could hear my heart aching in my few words. Without a shed of hesitation she said: “Come with me to Andanças. Get out of there! Stay with me. I will take care of you.” And she did!

It is important to say that this was almost 1 month before her wedding. Her happiness was evident, her mind was swirling with ideas, last-minute preparations, guests and beautiful details. The only thing on her mind, heart and life was the wonderful moment she was about to live. AND YET… she found room for me.

As I write this, I can’t help but to cry. I can’t. You see, generosity is a rarity these days. And Ana Luísa has one of the prettiest hearts I have ever seen.

She asked me no questions. She gave me no “I told you so”. She was just there. Dancing with me and holding my hands while they held the infinite tiny pieces my heart had turned into.

When a few months later she sent me the photos she took of me there, I burst into tears. That was the photo of a broken person. Right there. Her talent captured my state, but above all her talent captured the light shining around me, through me.

In the middle of my pain, there was still room to dream about her future, her wedding, her happiness, to laugh and think silly things. Because generosity creates generosity. And love creates love.

If you are getting married and one of your dear friends had a recent breakup, be a good friend and find ways to help her. These are my favorites:

  • Listen. Just let her say her piece and in that time just be her friend, not the happiest bride on earth with the best boyfriend ever.
  • Quality Time. If she is up for it, take her with you to non-wedding related activities, so she can get out of the “poor me” bubble.
  • Don’t set her up. You hear me. Don’t use your wedding to find her a husband. Let her be. She will find someone when the time is right.
  • Hug her. Psychologists say that we need 3 hugs a day to help our mood levels. Double it.
  • Be there. Be loving. Be caring. Be a friend.

All photos:  Luisa Starling

assinatura_pv

***

Uma das coisas mais difíceis quando estamos numa bolha perfeita de amor e felicidade com o nosso casamento é cuidar do coração partido de alguém.

Nesses momentos, a última coisa que queremos é ter sentimentos e situações negativas à nossa volta. Só queremos as coisas boas e que acompanhem o ritmo feliz do nosso coração apaixonado. E, inesperadamente, uma amiga passa pelo fim de uma relação.

O que fazer numa situação destas? Como te podes manter incrivelmente feliz e incrivelmente presente para quem precisa de ti?

Vou contar-vos a minha história com a Ana Luísa. Há um ano atrás, a minha relação colapsou inesperadamente. Quando no dia seguinte falei com a Lu, disse-lhe que não estava bem. Ela não fez perguntas, disse-me apenas: “Vem comigo para o Andanças. Sai de Lisboa. Fica comigo, eu cuido de ti.”

É importante dizer que isto aconteceu quase 1 mês antes do casamento dela. Como podes imaginar, a Lu estava numa bolha mágica de alegria, de sonhos, de detalhes e últimas preparações. A única coisa na cabeça dela era o dia mágico que se aproximava. E AINDA ASSIM… ela criou espaço para mim.

Escrevo isto e não consigo evitar as lágrimas. Tenho-me dado conta que a generosidade é uma coisa cada vez mais rara, mas a Ana Luísa tem um dos corações mais bonitos que eu já vi.

Não me fez perguntas. não me deu ralhetes, não me veio com moralismos. Ficou ali, apenas isso. Dançámos juntas ao som de um forró e de um tango e tantas outras coisas, e as mãos dela amparavam as minhas que seguravam os pedacinhos do meu coração.

Quando uns meses mais tarde me enviou as fotografias que me tinha tirado lá, desatei a chorar. Naquelas imagens estava uma pessoa partida. Mas com o imenso talento que tem, a Lu conseguiu captar a luz à minha volta e a luz dentro de mim. 

No meio daquele momento, e apesar da minha dor e tristeza, conseguimos rir, brincar, sonhar e imaginar coisas lindas para o casamento da Lu. Generosidade gera generosidade. E o amor gera, sempre, amor.

Se estás prestes a casar e uma amiga querida está de coração partido, não te afastes e encontra formas de a ajudar. Estas são as minhas favoritas.

  • Ouve. Tudo o que ela tiver para dizer, sem pressas, e nesse momento és só a amiga, não a noiva mais feliz do mundo.
  • Mima-a. Se ela estiver disponível, faz coisas com ela que a divirtam para que saia da bolha da coitadinha.
  • Nada de arranjinhos. Ouviste-me bem. Nada de aproveitares o teu casamento para seres casamenteira. Dá-lhe tempo.
  • Abraça-a. Os psicólogos dizem que precisamos de 3 por dia. Enche-a de abraços. Faz com que se sinta querida, amada, amparada.
  • Sê presente. Sê carinhosa. Sê amiga.
EMBRACE YOUR WEDDING GEEKNESS: make a wedding website!

Organization & Planning Wedding advices

EMBRACE YOUR WEDDING GEEKNESS: make a wedding website!

Are you constantly on social media and blogs, love technology, carry your smart phone with you at all times, are planning your big day and people keep constantly asking for your wedding details? Well, we have a solution for you: build a wedding site!

What it is:

A Wedding site is a blog that you can build from scratch or get an already done one with a beautiful template and fill it in with all of the details your guests might need as for date and hours, venue location, dress code, gift list. You can also add a few very unique details to make it even more personal and fun like the story of how you two met, how the engagement proposal was, who are your bridal parties and even an hashtag for your guests to use on your wedding day photos.

Screen Shot 2016-07-18 at 12.44.05

Personally, we couldn’t let this post go by without remembering you that we have an awesome vendor for wedding websites: Prontos para Casar.

I did my wedding site through them and loved every phase of the creative side and as well as the end result and so did our guests! It was also a really good way to keep on track on the things we still needed to arrange for the big day.

To show you how even more wonderful it is, they also have an impressive feature called the Love Funding, where you can ask for help in getting something you really dream of but definitely can’t afford for your wedding. It has done wonders for brides and grooms out there. Check out our wedding site here! (wherever it asks for a code, right “LOCALDAFESTA”)

Screen Shot 2016-07-18 at 12.43.48

How can I make my guests know about it?

Well, there are so many ways! Here are a few:

  • Write the link to the wedding blog on the save the date and/or invitations;
  • Send an email to all your guests with the wedding site address;
  • Reveal the wedding site on your engagement party;
  • Whenever friends and family ask you for details, you can always have a few cards with the wedding site written on them. This really saves time and mental sanity if different people keep asking you for what to wear, where the place is, at what time should they get there, or if there is parking space near by. Just say: “follow this link, every answer is there, it took me time to build it for you, so please enjoy!”

 

Is there an alternative to a template wedding blog?

Yes, of course! This post is all about embracing your geek side and using it to help you on your wedding planning!

  • You can always build your own wedding blog (but have in mind that if you are not a web designer, it might not look as pretty as an already made template. And after all, time is money, and if you can afford to be quicker by buying a beautiful already designed one, please do. It looks professional, was made to be read easily and will save you loads of time. Believe me! You’ll already spend a few hours by using a template when writing down all the information, and doing it by yourself from scratch, count on double or 3x more the time);
  • Create a closed Facebook group only for your guests and keep updating it with new information. The bad thing here is that people might not have a FB (yep, some people still don’t), or the info might be lost if your friends start writing on that wall uncontrollably or adding comments. Facebook might keep bringing old information to the top of the list and it might confuse your guests;
  • Create a Whatsapp group on your smartphone and also update info (same problem as FB, but here the chat can get really uncontrollable, specially if people start using it for other conversations)
  • Have a Newsletter that goes straight to every guests email! There are a lot of fun ways to do them, like MailChimp. Through it, you can send several emails to your guests as to keep them informed, and more and more excited for the big day. Try keeping it on an informal tone, and always fun. Remember, this is a party planning, not something people will be fed up about on the big day. Don’t send the newsletter every week. Keep it simple. 3 newsletters should do, really! For example: One as a save the date and informing of this really cool newsletter you’l be doing; Second  with all info you have gathered, half way through the wedding planning; Third about a week before the wedding, remembering your guests of date, time, location, and accommodation if needed. The emergency contacts of your maid-of-honour and a huge hug to everyone!
  • If you prefer, just do a simple email, with no big flashy extras;
  • Do it your way! Whatever it is and works best for you is simply perfect!

I really hope this helped the planning fairy that is non-stop working inside that geeky head of yours!

And remember, wedding sites exist to help you and your guests go through all the important information for your big day. Don’t put your entire energy into it, but use it as a resource to make your day go smoother and happy! Enjoy your planning!


Featured photos: Prontos para Casar

Assinatura_AL

***

Estás constantemente ligada às redes sociais e blogues, adoras tecnologia, tens sempre o teu smartphone contigo, estás a planear o teu grande dia e os teus amigos e família passam a vida a pedir-te informações sobre o teu casamento? Bem, nós temos a solução para ti: faz um site de casamento!

O que é:

Um site de casamento é um blogue que podes construir do zero ou comprar um já feito para este propósito onde podes debitar toda a informação de que os teus convidados precisam, como o dia, horas, local, código de vestuário, lista de prendas. Também podes adicionar o teu toque pessoal contanto a história de como tu e a tua cara metade se conheceram, como foi o grande pedido, apresentar os vossos padrinhos e madrinhas e até adicionar uma hashtag para onde todos podem enviar as fotos de instagram do grande dia.

Pessoalmente, não poderia deixar passar este post sem vos relembrar que temos um excelente fornecedor de blogues de casamento, os Prontos para Casar.

Eu fiz o nosso site de casamento através deles e adorei cada fase de escrita e preparação até ao resultado final, assim como gostaram os nossos convidados! Foi também uma óptima maneira de me manter a par de tudo o que ainda precisava de ser feito para o nosso dia.

Para vos mostrar o quão espectaculares eles são, o Prontos para Casar também tem um extra que ajuda muitos noivos e noivas (a nós ajudou), que é o Love Funding. Um espaço onde tens a oportunidade de angariar dinheiro para conseguires algo que é um sonho para vocês e que sozinhos está completamente inatingível.

Podem ver o nosso site aqui! (onde quer que seja pedida uma password, escrevam “LOCALDAFESTA”)

 

 

Como posso informar os meus convidados da existência do site de casamento?

Bem, existem muitas maneiras, mas aqui estão algumas:

  • Escreve o link do site no teu save the date ou convite de casamento;
  • Envia um email a todos os convidados com o link;
  • Revela o site com todas as informações numa festa de noivado (caso faças uma);
  • Sempre que algum amigo ou familiar te perguntar pelos detalhes da festa, podes sempre ter uns cartões com o endereço do site prontinhos a entregar. Isto poupa-vos mesmo tempo e sanidade mental caso diferentes pessoas estiverem sempre a perguntar pelo que é que podem vestir, horas, se o local tem estacionamento… Entreguem o cartãozinho e digam “A informação está toda aí, perdi muito tempo a montar tudo para que tivessem acesso aos detalhes do nosso dia, divirtam-se a passear pelo nosso Site!

 

Existem alternativas aos sites de casamento?

Sim, claro! Este post é mesmo sobre a geek que há em ti, e para te dar várias alternativas que te ajudem a passar a informação do teu casamento!

  • Podes sempre fazer o teu próprio site de casamentos (mas tem em mente que a não ser que sejas uma web-designer, é muito provável que o site nunca fique tão bonito como um que já tenha templates pré-definidos para este efeito. Depois, tempo é dinheiro, e se tens possibilidade para comprar um que te poupe tempo, por favor fá-lo. Fica mais bonito, profissional, e vais perceber que já investes tempo suficiente em juntar a informação toda);
  • Cria um grupo fechado de facebook só para vocês e para os vossos convidados onde podem estar constantemente a inserir nova informação. O lado mau disto é que não só nem toda a gente tem Facebook (sim, é verdade!), como a informação também se pode perder caso as pessoas se entusiasmem a postar no grupo, ou a comentar posts teus mais antigos. O Facebook puxa os posts antigos para o topo do mural com um simples “like” de alguém, e isto pode confundir os convidados a acharem que já têm toda a informação de que necessitam;
  • Cria um grupo de Whatsapp onde podes ir inserindo a informação importante. O problema aqui é o de não conseguires controlar a corrente de chat caso as pessoas se entusiasmem. Pessoalmente, quando olho para um grupo de Whatsapp e vejo que tenho 100 mensagens por ler perco um bocadinho as estribeiras e não leio tudo! Pode acontecer o mesmo com os teus convidados e ficar demasiado overwhelming de seguir;
  • Faz uma Newsletter que chega directamente ao email dos teus convidados! A não ser que seja uma avózinha de 90 anos, provavelmente toda a gente tem email! (e já existem avózinhas de 90 que também têm, mas percebes o que quero dizer). Existem formas muito divertidas de criar Newsletters, como com o MailChimp. Um conselho é o de não abusares no envio. Três devem chegar para manter as pessoas informadas mas não chateadas com a caixa de correio cheias do teu casamento. Lembra-te que queres que cheguem entusiasmadas ao teu dia, e não sem o poderem ver à frente. O conselho é de enviares pelo menos 3. Uma no início do planeamento, como um save the date e a mostrar o teu lado geek de forma divertida, querendo que não falhe nenhuma informação aos teus convidados. A segunda Newsletter deveria seguir a mais de meio do processo de planeamento, quando já tiveres detalhes suficientes para dar a toda a gente, sempre com um lado divertido e informal. A terceira deveria seguir uma semana antes do casamento, com alguma informação que te tenhas esquecido de dar na segunda e a relembrar o que é importante, como horas, local, acomodação caso necessário, o contacto de emergência de uma madrinha e a dizer que mal podes esperar para poderes abraçar todos no vosso grande dia!
  • Se preferires, envia simplesmente emails, sem grandes extras;
  • Ou faz à tua maneira! O que melhor funcionar para ti será simplesmente perfeito!

Espero mesmo que este post de hoje tenha ajudado a fada geek que existe na tua cabeça e que está a matar-se a trabalhar! 😀

Lembra-te, estes sites e alternativas existem para te ajudar e para ajudar os teus convidados durante o planeamento. Não metas toda a tua energia nisto nem entres em stress, mas usa-os como ferramentas para fazerem com que o vosso dia corra de forma mais relaxada e feliz! Diverte-te a criar!

Popeye & Olivia: “I yam what I yam”

Wedding advices

Popeye & Olivia: “I yam what I yam”

Do you know what day is today? It’s Popeye and Olive day!

As you might remember, this is a couple created in 1929 by Elzie Segar and adapted to cartoons by the brothers Dave and Max Fleiseher.

So Popeye is a charismatic  hero, but an unlikely one for today’s standards: he is short, bald, no teeth, one eye closed, he is a pipe smoker and has tattoos on his arms. Every time he eats spinach he gains this super-hero strength that helps him beat any challenge. Olive is his big love. She is really tall and skinny, but with the biggest feet ever. She has dark hair and always wears a red bow. She loves Popey and is always saying “Oh dear“!

I like this couple specially for what they symbolize by being together. He is irreverent. She is filed with energy and enthusiasm and joy for life. When I think about them, I think of two people who are so different, in personality and looks. If they were two real people, we could say they don’t look good together. But in fact, unlikely and with no explanation, they love each other. No need for reasons. They just do. And this is one of the extraordinary beauties in love… it just happens, even when people don’t seem to combine that well.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=F0DVD5ECEv4]

Today by celebrating this couple, I had the idea of sharing a special subject that affects other couples.

The beliefs and prejudices of our society on what a couple should look like generate silenced fears and tensions that limit the way we interact with each other in social contexts. One of those beliefs is that the man should not be smaller than the woman in a relationship. This is what makes people think it’s funny to see a couple holding hands where the man is shorter than the woman. It seems like it doesn’t go well.

Pedro and I have practically the same height. And because of that, when I wear high heels, I get taller than him. He is not bothered by it. In fact he likes it, but this has always been a thing for me ever since we started dating, and was a huge problem when searching for the right pair of wedding shoes.

On one side, I wanted to wear some dreamy stilettos. On the other side, I didn’t want to look back on our wedding photos and seeing me taller than him. “What will people say?” I thought. People, others, rules…

Finding the perfect pair of shoes (elegant but only 5 cm high) was a long task and filed with frustration. Shop after shop I searched for them, tried more than 30 pairs, and nothing! Finally I found a beautiful pair online on a USA store! Just the perfect ones, and I bought them. They’d arrive a week before the wedding and so all would be perfect. But that’s when another nightmare started: The delivery was late, I had to wait until almost the day before the wedding, and when they arrived, they weren’t my size. It was such a terrible feeling. I had to give in and use something else that I didn’t like as much. After all the anxiety, I completely forgot about it on the wedding day, and it might seem almost insignificant and irrelevant for most of you, but in fact, this post is not about just shoes and a bridal dilemma. This is a subject that represents a silent fear of many man and women. But if this is your case, there are several possible alternatives!

  • One is to accept that you are taller than him. See it as something natural and positive. Don’t limit your choices on what others might think. They are actually not going to think about it, but even if they did, that is not going to affect your wedding day. The opinion that really matters is yours and of those who love you and are important to you. your friends and family will attend your wedding for who you are and not to judge your appearance nor will they measure you!
  • Another way, if this affects you a lot, is to find techniques that can help make that difference not as noticeable and let you relax. You can, for example, choose some sexy ballerinas, or shoes with a lower heel, simple low shoes, converses, or… if your fiance doesn’t mind, it can actually be him wearing some platforms like Tom Cruise does. They are bearly noticeable.

In the end of the day, whatever is the choice you make, the important thing is that you both feel comfortable and authentic. Popeye used to say something I’ll never forget and that has everything to do with today’s post: I yam what I yam, and that’s all what I yam.” I hope this also helps you! 😀

“To wrap up our post, and to prove that you can still have style while being taller than your husband, here is some inspiration through elle.com.”)

Assinaturas_MP

***

Sabem que dia é hoje? É dia do Popeye e da Olivia.

Para quem não se recorda deles, é um casal criado em 1929, por Elzie Crisler Segar e adaptado para desenhos animados pelos irmãos Dave e Max Fleiseher. Quantas vezes, quando éramos miúdos, cantámos “I’m Popeye the sailorman”?

O Popeye é um marinheiro carismático mas um herói improvável nos dias de hoje: baixinho, careca, desdentado, tem um olho fechado, fuma cachimbo e tem tatuagens nos braços. Sempre que come espinafres, ganha força de super-herói e consegue superar todos os desafios. A Olivia é o seu grande amor, é muito alta, muito magra e tem uns pés enormes! Tem cabelo preto e um laço vermelho. Adora o Popeye e está sempre a dizer “Oh dear!!!”

Gosto especialmente deste casal pelo que simbolizam enquanto casal. Ele é irreverente. Ela é cheia de energia, entusiasmo e muita alegria de viver. Quando penso neles, penso em duas pessoas muito diferentes uma da outra, tanto em personalidade como em aspecto. Se eles fossem duas pessoas na vida real, poderíamos dizer que nada têm a ver um com o outro, ou que simplesmente não combinam. Mas na verdade, improvável e inexplicavelmente, eles gostam um do outro. Sem razões nem porquês. Apenas porque sim. Esta é uma das belezas extraordinárias do Amor, acontece imprevisivelmente mesmo quando duas pessoas não combinam à primeira vista.

Hoje, ao celebrarmos este casal, lembrei-me de partilhar convosco um tema especial que afecta muitos casais reais. As crenças e os paradigmas da sociedade relativamente ao que um casal deve ser ou parecer provocam medos silenciosos e tensões que limitam a forma como nos relacionamos enquanto casal em contextos sociais. Uma dessas crenças é que o homem tem que ser mais alto que a mulher. Por isso estranhamos quando vemos um casal a passear de mão dada quando ela é mais alta que ele. Parece estranho e sentimos que, de alguma forma, não combinam.

O Pedro e eu temos praticamente a mesma altura. E por isso, quando uso salto alto, fico mais alta que ele. Ele não se sente incomodado com isso, pelo contrário. Mas eu confesso que para mim isso sempre foi uma questão, desde o inicio do nosso namoro. E claro, foi também uma preocupação na altura de escolher os sapatos para o dia do nosso casamento. Por um lado, queria usar uns sapatos de salto alto super elegantes, daqueles que qualquer mulher sonha ter! Por outro lado, não queria aparecer nas fotos mais alta que o Pedro. O que vão as pessoas pensar? As pessoas. Os outros. As regras…

Encontrar os sapatos perfeitos (elegantes mas no máximo com 5 cm de salto) foi uma tarefa demorada e cheia de sofrimento. Loja após loja, experimentei mais de 30 pares. E nada! Finalmente consegui encontrar uma loja online nos EUA e encomendei uns sapatos de noiva lindos, 5 centímetros de salto, mesmo feitos para mim. Estava previsto chegarem 4 dias antes do grande dia. E então o pesadelo aconteceu! Os sapatos não chegaram dentro do prazo, estavam com 2 dias de atraso. Quando finalmente chegaram, mesmo na véspera do casamento…não me serviram. Foi um sentimento horrível. Tive que me contentar com uma sandálias baixinhas, sem graça, que nada tinham a ver comigo, muito longe do que tinha idealizado. Apesar de toda a ansiedade, no próprio dia esse assunto desapareceu da minha cabeça e correu tudo bem. Hoje ao olhar para trás, parece um assunto insignificante, para alguns pode parecer irrelevante por estarmos a falar de sapatos… Mas este tema não é insignificante e não estamos só a falar de sapatos. É um assunto que vai muito além de uma questão estética, pois representa um medo silencioso de muitas mulheres e homens.

Se esse é o vosso caso, há vários caminhos possíveis, todos eles válidos.

  • Um deles é aprenderes a aceitar que és mais alta que ele. Vê isso com naturalidade e como algo positivo. Não te limites nas tuas escolhas por aquilo que os outros possam pensar. Os outros não vão pensar nada e mesmo que pensem, isso não vos vai afectar de forma nenhuma. A opinião que verdadeiramente interessa é a vossa e a daqueles que vos amam tal como vocês são. Os vossos amigos e familia estarão convosco nesse dia para celebrar a vossa união e o vosso amor e não para avaliar a vossa aparência ou para vos medir com uma fita métrica.
  • Outro caminho também válido, se tens dificuldade em lidar com esta diferença de alturas, é usares algumas técnicas que poderão atenuar essa diferença e deixar-te mais tranquila: dependendo dos teus gostos, podes por exemplo, escolher umas sabrinas de noiva sexys, uns sapatos com salto baixo ou simplesmente rasos, ténis coloridos ou ainda, se o teu noivo não se sentir desconfortável com isso, pode ser ele a usar uns sapatos com plataforma (são super discretos e usados por várias celebridades, como o Tom Cruise).

No final do dia, qualquer que seja o caminho que escolherem, o importante é que se sintam os dois confortáveis e autênticos. O Popeye dizia algo que representa muito bem o que vos quero dizer. (“I yam what I yam, and that’s all what I yam.”), ou seja “eu sou ou que sou e isso é tudo o que eu sou”). Está tudo dito!

Para terminar o post de hoje, e para vos provar que não faz mal nenhum sermos mais altas que os nossos noivos ou maridos, espreitem este post da elle.com!

I forgot this on my wedding day!

Wedding advices

I forgot this on my wedding day!

Forgetting things is never nice. But if there is a day it is even worse and can lead to a crisis, panick attack or burst into tears… is your wedding day.

However, we know (for sure) that the number of people out there that forgot something on their wedding day is higher than we know. Which, in a selfish way, makes us all feel much better.

Ana Luísa, Madalena and I all forgot something on our days, wanna know? I go first:

My groom had one task and one task alone: to prepare the soundtrack of our wedding day. Cocktail, dinner, party, cake… I trusted him. WRONG! As we arrived the planner asked: “Where is the pen drive with the songs”, “Songs? What songs?” Yep, he forgot it. I was pissed. Why? Because the back up they had was a mix of Pop Divas with iconic songs that had absolutely nothing to do with us, our wedding theme or the party. We managed to laughed at it 1 year later, when we had a small gathering in our garden and he prepared a fabulous soundtrack of originals. He made it up to me in style!

Now, if you think this is a guilt-trip post, forget it! This is a post to tell you a fabulous-brilliant-amazing-freeing truth: IT IS OK! It is OK to forget something, big or small, on your wedding day. Most of the times people won’t know it or remember it, and only you will suffer. So, we recommend you to keep your mouth shut, let the day go by and when you can, laugh about it.

Well… unless it is your bride/groom. That can be a tough one to hide.

Rebels’ Tip: Carry her/his photo with you. It will survive any anxiety attack.

assinatura_pv

For me there were two moments on my wedding day where I forgot about something important. Today, and after 4 years, I am happy they happened that way.

So as tradition says, “you should give a favour to all your guests. Something that will make them remember your day”. I never really liked the idea of those small souvenirs from the other weddings I attended, because many times they just got lost in a drawer for years. I knew I didn’t want something like that, and so I decided to think about it closer to the wedding day. The day before, I remembered I should maybe do as tradition dictates, and asked wine producer Ann from wonderful Quinta de Sant’Ana to help me have wine bottles as wedding favours. I knew those wouldn’t be seating in a drawer for sure, and would be something the guests would love. On our wedding day, the bottles looked beautiful in their little boxes and we wanted to give them by the end of the night, but with the emotions we lived during the entire time, I completely forgot about them! Only the next day, while having breakfast with Pedro did it come to my mind. Instantly, we thought “Oooh My God! Now what?” but today, when I think about it, I realise we ended up giving more than one favour to our guests. We gave them dozens of wonderful memories really, and each of our guests, had a favourite one.
Some of my friends still recall the moment I went down the aisle holding hands with my mom, others remember Pedro’s tears of joy at church, others still talk about the bouquet surprise I did with my girlfriends, while dancing to ABBA’s “Dancing Queen”, others remember a special conversation or our uncoordinated first dance listening to Barry White
Those things you really can’t buy. They stay in our hearts and memories, and not lost in drawers.
The other moment I also remember from that day with a lot of love happened because I left our car key in my sister’s car and when she left, she took it with her. We were the last ones to leave the party (me and the husband), as well as our best man and maid-of-honour from Poland, and when I realised we had no transportation to take us to our hotel, that was 3km away, my sister was already 40km away as well!
So there we were, the four of us, completely exhausted and stuck at our wedding. We soon realised we couldn’t walk all the way in heels, and so the sweet staff from the Quinta de Sant’Ana offered us a ride if we didn’t mind waiting for them to end the day. They told us they’d be done in an hour and what a fun time that was! It is one of those moments I cherish the most really. It was so wonderful to be able to spend some quality time with our best friends Aneta and Tomek. We hadn’t had that throughout the day, and thanks to me forgetting my key in my sister’s car, we were able to share a moment of love and fun. It was also good to see our staff team with different eyes and really appreciate the work they had done for us. I didn’t know their names but they knew ours, and by the end, we really got the chance to end the night properly thanking them for the day they had provided us.

Assinaturas_MP

One of the things I recall with most joy now was the fact that I forgot to print the seating plan for dinner time. When we were cleaning and setting everything up for later that day, I asked my friend Cíntia (who did our design) if she had brought it from the printing shop. She looked at me with big eyes and said “Oh my God Lu, you were supposed to do it. Did you forget about it?”. Yep, guilty! With so many things in my mind, I totally forgot I was the one in charge of having it printed and bringing it to the venue. Instead of putting my hands up, I actually laughed about it and decided to think about it by dinner time. So later that day, when we came from our wedding photos, I grabbed a glass of gin and went to the entrance of the dinning hall. I’d be our talking seating plan! You see, I had been working on that seating plan for months, I had set the names of everyone on each plate the day before, and I just had it all in my head. So while people were arriving for dinner, all I had to do was tell them if they were table 1, 2, 3 or 4, and then let them go search for their names on their tables. Why was this amazing in the end? Because I know most people end up not having a little bit of time to talk to all their guests on their wedding day, and the exact opposite thing happened to me. I spoke to all of the 117 guests, and toasted with them, and laughed with them, and hugged the ones I hadn’t seen yet that day as they were going in. And having Miguel’s surprised face looking at how I had the seating plan in my mind was priceless!

Always look at the bright side of something that might look like a complete disgrace. Instead of crying over what you forgot about, try to work out an easy, and if possible, fun solution for it! I believe everything happens for a reason, and I needed to forget about our seating plan.

Fun fact: I still remember it clearly today. It’s kinda scary actually.

Assinatura_AL

Featured image: Forget Me Not Flower via Florist Taxonomy

***

Esquecermo-nos de coisas é sempre aborrecido. Mas se há dia em que o “aborrecido” ganha um outro nível – sim, estou a falar de crises, ataques de pânico e de ansiedade, choro descontrolado – é no dia do nosso casamento.

Porém, a verdade é esta (e sabemos isto com precisão): o número de pessoas que se esquece de algo importante no dia do casamento é bem, bem, bem longo. O que, de forma muito egoísta, nos faz sentir um (grande) bocadinho melhor, não é?

E para que vocês se sintam já melhor, partilhamos coisas que eu, a Ana Luísa e a Madalena nos esquecemos nos nossos dias! Eu começo:

O meu noivo tinha apenas uma tarefa: preparar a banda sonora do nosso dia de casamento. Mais nada! Cocktail, jantar, festa, bolo… Confiei nele e… dei-me mal. Quando chegámos à quinta o organizador vem ter com ele e pergunta “A pen com as músicas?”, “Quais músicas?”, respondeu ele. Pois, esqueceu-se completamente. Fiquei zangadíssima, porque a única opção que tivemos foi um mix de Divas da Pop que nada tinham a ver com a nossa festa ou tema. Conseguimos rir sobre isto 1 ano depois, no nosso aniversário, quando na mini festinha que fizemos no jardim ele preparou uma banda sonora… de originais dele. Compensou-me. Em grande estilo!

Este não é um post mea culpa. Nada disso! Pelo contrário, este é um post que traz uma fabulosa e libertadora mensagem: ESTÁ TUDO BEM! Mesmo! Seja o que for que te tenhas esquecido, não importa. Na grande maioria das vezes ninguém se apercebe, nem ninguém sabe. Por isso, nada de choros nem desesperos, deixa o dia fluir e, quando conseguires, até te vais rir disto. Acredita!

Bem… a menos que te esqueças de quem é a/o tua/teu noiva/noivo. Ai é mais complicado.

Recomendação das Rebels: leva uma foto contigo. Assim não há ataque de ansiedade que te atrapalhe!

Petra Vaz

Houve dois momentos de esquecimento no dia do meu casamento. Hoje, passados 4 anos, fico contente que esses dois momentos tenham acontecido.
Como manda a tradição, devemos dar uma lembrança aos convidados. Algo que os faça recordar aquele dia. Nunca achei muita piada às lembranças que vi em outros casamentos, porque muitas vezes são coisas que ficam jogadas numa gaveta durante anos. Eu sabia que não queria isso e por isso adiei a escolha até à véspera do casamento. Na véspera lembrei-me finalmente que teria que cumprir a tradição e em conjunto com a Ann da maravilhosa quinta de Sant’Ana, produtora de vinho, pensei que seria engraçado oferecer uma garrafa de vinho produzido na quinta. Seria algo que não ficaria numa gaveta perdido, mas sim algo que os convidados realmente apreciariam. As garrafas estavam prontas nas suas caixas bonitas e seriam oferecidas aos convidados no fim do dia. Com tantas emoções, não me lembrei mais delas. Só na manhã seguinte, enquanto tomava o pequeno almoço com o Pedro, me lembrei das garrafas! “Ohhhhhhh e agora?” Quando penso sobre isso agora percebo uma coisa: não dei uma lembrança mas sim dezenas de lembranças, todas elas muito diferentes umas das outras. Pois na verdade, se hoje perguntar a cada uma dessas pessoas a coisa que mais recorda desse dia, tenho a certeza que cada uma delas terá uma memória particular. Alguns lembram a minha entrada na igreja de mão dada com a minha mãe, outros recordam as lágrimas de emoção do Pedro na igreja, outros o momento da dança com as minhas amigas ao som dos ABBA no momento de entregar o bouquet, outros uma conversa especial, outros a nossa primeira dança desajeitada ao som do Barry White. Foram essas as lembranças que ficaram na memória dos nossos amigos e familia e não nas gavetas lá de casa.
Houve outro esquecimento nesse dia que ainda hoje lembro com muito carinho. Durante o dia, a chave do nosso carro ficou na mala da minha irmã. No final da noite ela e o meu cunhado foram embora e levaram a chave com eles. Quando finalmente nos apercebemos foi tarde! O Pedro e eu ficámos sem carro e a minha irmã estava a 40 km de distância. Nessa noite iríamos ficar num hotel a cerca de 3 km da quinta, juntamente com os nossos padrinhos de casamento que tinham vindo da Polónia. Ali estávamos nós os quatro, tão cansados depois de um dia intenso, sem forma de nos deslocarmos para o hotel. Ainda pensámos fazer a caminhada de 3 km… Mas percebemos que de salto alto seria uma loucura! Então a equipa de staff da quinta, que estava a ultimar a o fecho do evento, ofereceu-se para nos dar boleia até ao hotel. Mas teríamos que esperar cerca de 1 hora enquanto terminavam as arrumações. Essa hora foi tão gira! É um dos momentos que lembro com mais carinho. Eram 2h da manhã, estávamos verdadeiramente cansados, mas foi tão bom poder partilhar aquele momento no fim do dia com a Aneta e o Tomek. Durante o dia não tínhamos conseguido estar juntos daquela forma e assim, graças ao esquecimento da chave na mala da minha irmã, conseguimos partilhar um momento de amizade e carinho com os nossos melhores amigos. Serviu também para perceber que, para que o nosso dia pudesse acontecer, há uma equipa de staff enorme nos bastidores que trabalha durante horas, de forma incansável e com tanto carinho. Eu não sabia o nome deles, mas eles sabiam o nosso e foi bom terminar a noite agradecendo-lhes pelo dia maravilhoso que nos proporcionaram!

Um dos momentos que relembro com mais carinho foi proporcionado pelo facto de que me esqueci completamente de imprimir o plano das mesas para o jantar. Na manhã do nosso casamento, enquanto finalizávamos a decoração, perguntei à minha amiga Cíntia, que fez o nosso design, se se tinha lembrado de trazer o quadro com as mesas. Ela abriu bem os olhos e disse “Oh não Lu! Mas tu é que tinhas ficado encarregue disso!”. Yep. Culpada. Com tanta coisa a resolver no planeamento, escapou-se-me completamente que essa era uma tarefa minha. Em vez de deitar as mãos à cabeça, ri e decidi que a Ana Luisa do futuro logo lidaria com isso mais tarde. Assim, depois da cerimónia e do cocktail, e logo após regressarmos das nossas fotografias de casal, agarrei num copo de gin e fui para a entrada da sala de jantar. Eu seria o quadro de organização das mesas falante! Depois de olhar para ele durante tantos meses, de sentar pessoas aqui e ali, e depois de no dia anterior ter metido os nomes individuais em cada prato, eu sabia tudo de cabeça! Assim, enquanto as pessoas iam descendo para o jantar, tudo o que eu tinha de fazer era ir-lhes dizendo se estavam na mesa 1, 2, 3 ou 4, e depois deixar que cada um encontrasse o seu nome no prato da sua mesa correspondente. Porque é que isto acabou por ser maravilhoso? Porque na maioria dos casamentos a que vou as minhas amigas noivas queixam-se de não terem tido a oportunidade de falar a todos os convidados, e exactamente o oposto aconteceu comigo. Eu falei com os 117 convidados, brindei com eles, ri e abracei aqueles com quem ainda não me tinha cruzado. E ver a cara do Miguel incrédulo com a minha memória foi simplesmente impagável.

Olhem sempre para o lado feliz de qualquer coisa que possa à primeira parecer uma desgraça. E em vez de perderem a cabeça com isso, tentem encontrar uma solução rápida, e se possível divertida. Eu acredito que tudo acontece por uma razão, e que era suposto eu ter-me esquecido daquele quadro.

Facto engraçado: Eu ainda me lembro bem de todo o seating plan. Na verdade chega a ser assustador.

Ana Luisa

Why going on a honeymoon is so important to me now!

Wedding advices Wedding Inspiration

Why going on a honeymoon is so important to me now!

I am not a wedding expert but I write from the heart, and all my advice comes from my personal experiences, not because I believe I’m the queen of the wedding truth. I am not. I am just a girl who got married and is here to share her experiences, good and bad, so that maybe, just maybe, they might help someone on that side going though the same thing.

So today I’m talking about the fact that we didn’t go on a honeymoon right after our wedding, and of how now, looking back, I really regret it in many ways.

Planning our big day was exhausting. And as many girls out there, I was not just planning it and not doing anything else. I was still working and making my normal hectic life as a wedding photographer and small business owner. So when the time came, the wedding happened on a Saturday, on Sunday we cleaned the entire thing (DIY wedding), and on Monday I was already working, answering emails, editing. The next weekend I shot another wedding, and another on the next weekend, and so on until the end of October. After that, I edited everything and I never stopped to really have proper dates with Miguel. The end result? A burnout (because of all the needed rest), and post-wedding blues (because my “newlywed bubble” never actually happened).

The truth is, after the wedding we were also a bit broke, since DIY weddings can also go over budget, so we decided to postpone it. Big mistake.

Now that I come to think about it clearly, there were so many things I should/could have done differently:

  • I should have thought of it better, when we set the date, to leave the schedule empty for the next week. I just thought that since we couldn’t afford our dream honeymoon, I should just keep working (and I love my bride and groom from the next weekend with all my life, and I wouldn’t change it for anything, but you get the idea);
  • Even keeping the wedding from next weekend (which when scheduled would always happen, not just because I fall deeply in love with each of my couples, but because I am very serious about work), we should just have taken the week off until then, to soak in all the wonders of being newlyweds, even if that meant just staying at home for 5 days;
  • Not being able to afford the honeymoon of your dreams right after shouldn’t be the reason not to just do something simple like a small get away in a spa and save money for the big thing later on in the year or for the first anniversary;

Instead, I just blew up my “happy bubble” with normal-crazy-real-life-shock right after, and I really regret not having had that beautiful time with my hubby instead.

So my advice to you for after your wedding day is: JUST STOP. Enjoy the feeling of happiness you are going to have right after your party. You will really be flooded with love and happiness… a kind of love and happiness different from any other love and happiness you’ve ever experienced (believe me). So please make an effort to enjoy it and absorb all of that and transform it into a little beautiful love story of you two, even if it’s not the perfect dream honeymoon you had imagined. Do it small if you have to, but do it. Sleep until late, wake up to make love, eat, make love again, sleep. That’s what honeymoons were made for, the place is just a luxury that can be added in anytime in your life. But stopping to just enjoy your newly-hubby or wife right after you wedding is a one shot in a lifetime. Don’t let it slip away!

PS: We ended up going to Paris for 3 days, six months after and it was marvellous. We are now saving for a big trip for our 2nd anniversary that will hopefully be that dream we haven’t had the chance to live yet.

Featured Image of us: Dreamaker

Assinatura_AL

***

Eu não sou uma expert em casamentos mas escrevo do coração, e os meus conselhos aqui na rebel são simplesmente baseados nas minhas experiências pessoais, não porque me considero alguma espécie de rainha da sabedoria. Não o sou. Sou uma simples menina, que um dia casou e que hoje tem o objectivo de passar as suas experiências, boas e más, na esperança de que possam inspirar e ajudar alguém desse lado que esteja a passar pelo mesmo.

Hoje o tema tem a ver com o facto de que não fomos em Lua de Mel logo depois do nosso casamento, e do quão arrependida estou hoje disto… em tantas maneiras.

Planear o nosso grande dia foi exaustivo. E tal como acontece com muitas meninas como eu, não estive o tempo todo apenas dedicada ao planeamento sem fazer mais nada. Ao mesmo tempo continuei com o meu ritmo louco de vida enquanto fotógrafa de casamentos. Quando chegou a altura, casámos num Sábado, no Domingo limpámos tudo (foi um casamento DIY), e na Segunda-feira eu já estava a trabalhar, a editar, a responder a emails. No fim-de-semana seguinte fotografei um casamento, no outro também, e foi assim até ao final de Outubro. Depois disso, editei tudo e nunca parei, o que fez com que chegasse a Novembro e Dezembro com um esgotamento (devido ao cansaço acumulado), e com “depressão pós-casamento”  (porque a “bolha de recém-casada” nunca chegou a acontecer).

Eu sei que muito disto vem do facto de ter o síndrome do freelancer, que “se não trabalha não ganha dinheiro” e depois fica a deprimir sobre as contas que poderá vir a não conseguir pagar. Depois, e porque casamentos DIY também ultrapassam o budget, vimos que estávamos sem fundos para a nossa Lua de Mel de sonho, mas ainda assim, eu deveria ter sido mais responsável de tantas maneiras, nem que fosse pela minha sanidade mental:

  • Eu devia ter pensado melhor no assunto quando fechámos a nossa data tantos meses antes, e devia não ter marcado mais nada para a semana seguinte. Mas como vimos que poderíamos não conseguir pagar aquela Lua-de-Mel, decidi que continuar a trabalhar seria o mais acertado (e amo de coração os meus noivinhos da semana seguinte, mas sei que eles percebem o que aqui quero dizer. Não é nada contra eles, e sim contra mim);
  • Mesmo deixando o casamento do fim-de-semana seguinte, o que eu nunca desmarcaria, não só por amor a eles mas também por brio profissional, eu deveria não ter trabalhado logo a seguir durante a semana, só para poder apreciar e absorver os sentimentos felizes normais de uma menina recém-casada que viveu um conto de fadas. Mesmo que isso significasse ficar em casa sossegada com o marido;
  • Não conseguir pagar logo a Lua-de-Mel de sonho não é desculpa para não parar e fazer algo simples como uns dias num spa no mesmo país, e planear e juntar para essa grande aventura no ano seguinte.

Em vez disso, eu “rebentei a bolha” voltando de rompante à vida “normal” depois de um ano a trabalhar nisto, e arrependo-me de não ter tido aquele momento especial de romance com o meu agora marido.

Assim, o meu conselho de hoje para o vosso pós-casamento é que simplesmente PAREM JUNTOS, e que esqueçam o mundo que vos rodeia. Vão estar totalmente inundados de amor e felicidade. Um género de amor e felicidade que acontece uma vez e que é diferente a todos os outros tipos de amor e felicidade. Façam, por favor, um esforço para apreciarem e desfrutarem, e construírem uma pequenina história de amor só dos dois, mesmo que não seja naquele destino paradisíaco que tinham planeado. Façam algo mais pequeno se assim tiver de ser, mas façam-no.

Marquem essas férias, durmam até tarde, acordem para fazer amor, comer, fazer amor de novo. É para isso que foram inventadas as Luas-de-Mel, e o destino pode ser acrescentado depois, quando houver mais liquidez. Mas parar no tempo para aproveitarem este momento tão íntimo e especial para os dois acontece apenas uma vez na vida. Não o deixem fugir.

PS: Nós acabámos por fazer uma pequenina escapadela de 3 dias a Paris, seis meses depois do casamento que soube super bem. Neste momento, para compensar, estamos focados em juntar dinheiro para realizar o nosso sonho na altura do nosso segundo aniversário. 🙂