Categoria: Real Wedding

A Summer Camp Wedding by Fotografamos

Real Wedding Things I love Wedding Inspiration

A Summer Camp Wedding by Fotografamos

Loads of brides and grooms end up having the regret of not having spent enough time with everyone on their wedding day. Today, we bring you a fun, amazing and beautiful example of how to go around that in the best way possible, and that will make you re-think one-day parties: A full-weekend grown up Summer Camp Wedding! 

So get ready to some out-of-this world rebel(ness), all thought and planned by our bride and groom Jacob and Susannah and captured by our vendors Fotografamos.

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (017 of 81)

Meet today’s bride and groom

Susannah and Jacob define themselves as adventurous, outdoorsy and artistic. Both had lived together before they started dating (as roommates!) and, it wasn’t until Susannah moved cross-country for business school that Jacob realized just how much he liked her.

He proposed in the middle of a geothermal valley in the mountains of Iceland after they had just enjoyed a leisurely hike and a swim in some hot springs. “Because we were travelling in a remote location with no phone service, we got to enjoy the engagement all to ourselves for a couple days. It was great!” – Susannah told us at Sweet Rebel Bride.

 

And so the planning began

Fotografamos, our vendors who beautifully told their story through their images, shared that what made them fall in love with this wedding from two years ago was the genuine side of it. They didn’t worry in organising a magazine wedding day, but something that truly reflected their personalities. “Not only did it show who they are and where they came from, but it also generated the feeling and bonding of being part of a tribe.” And how did they get that? Through an amazing Summer Camp Wedding in North Carolina at Camp Wayfarer!

“We wanted our wedding to be a time for our friends and family to hang out together. Plus, we wanted the time and space to do all that too. We didn’t want to be kept sequestered away missing quality time with our people. Taking over a summer camp for a weekend gave us the perfect opportunity to eat, drink, and play together. We branded our wedding weekend as Camp Weesayaydoo (“We say I do!”) and had a lot of fun playing with that theme.”

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (005 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (023 of 81)

 

How you can do it in style

“The best part of our wedding was that it was really just a weekend of adult summer camp that happened to have a wedding ceremony at the end. We split our guests into 4 color war teams, which could earn points and merit badges over the weekend. Campers earned points in a cardboard boat regatta, pub quiz, riflery/archery, and field games. After 3 days of activities, we tallied up the points and announced our winners at the wedding dinner.” 

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (030 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (032 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (034 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (036 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (037 of 81)Sus and Jacob Blob 01Marina and Pedro from Fotografamos also shared their fav memories from those three days, like waking up to the sound of really loud speakers playing Hound Dog by Elvis Presley, the feeling of roasting marshmallows on the campfire, seeing friends and family participating on every activity despite of age or any physical limitations. Joining everyone in choosing flowers for the wedding decor, building the cardboard boats and cheering for their teams. “The relaxed feeling that ruled over the entire weekend was just fantastic.”

Adding to that, S&J also shared that “one unique event that we talk about often is our Camp Talent Show that we had instead of a rehearsal dinner. It featured our guests’ musical, comedic, and culinary talents! It was really amazing to see what people crafted on stage.” 

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (048 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (046 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (043 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (047 of 81)

When we asked them if there was anything they’d do differently, they were also really quick on the answer: “Nope! In fact, we’ve thought about having a 10 year anniversary party to invite everyone back to camp for a reunion.”

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (068 of 81)Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (069 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (071 of 81)The couple saved money by having their family making their wedding dessert (lemon squares and s’mores instead of cake), and their friends helped with DIY decorations and music during the weekend. Also, Jacob designed/crafted their website and invitations himself!

Marina and Pedro also shared that they learned a very valuable lesson from this wedding when it comes to all of the prep they did. “Everything was done with so much love, and everyone just wanted to enjoy every second and have the best experience possible. And when it is made with love, there is no way it can go wrong! We thought it was extremely courageous of Susannah and Jacob to let their friends and family help on the decor without any supervision, we loved the way they accepted that due to bad weather, the ceremony would be done inside instead of outside, and the staff at the summer camp was just incredible in doing so that everything went perfect. We are really grateful for their invitation, for the time we spent together, and for them having brought us from Portugal to the USA.”

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (053 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (054 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (058 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (057 of 81)

As for higher costs, according to the bride and groom, “we splurged when it came to cocktails and music. We wanted folks to enjoy some great drinks while dancing to some well-curated songs!”. 

We at SRB see nothing wrong with that! Can we please go to your 10th anniversary? 🙂

Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (063 of 81) Fotografamos_Susannah and Jacob_Camp Wesayaydoo (065 of 81)

 

A message to all rebel couples out there from S&J

“First of all, weddings are for both the bride and groom. We took both equal parts in planning our wedding just as we want equality in our marriage. We took on areas where we were strong and let the other person take the lead in areas where they excelled. Jacob is the visionary and artistic crafter and I am strong on logistics and planning for details.

We recognized our wedding as a rare occasion for all of our families and friends to be together in one place. We think it’s a great opportunity to create an event that gets people interacting with one another, utilizes their unique skills or talents, and maximizes your time to hang out with all of them.

Don’t feel like you have to do something because it’s traditional or expected. This is the time to do you.”

Thank you Jacob, Susannah, Marina and Pedro for sharing this amazing weekend with us! You brought gigantic inspiration to our SRB tribe, and since there are several beautiful Summer Camps throughout our beautiful country as well, maybe you have inspired some other rebels to do the same as you did!

We wish you all happiness in the world… and beyond!


Full gallery bellow!

Credits:

Photography: Fotografamos | Wedding venue and reception: Camp Wayfarer — Flat Rock, North Carolina USA | Wedding Dress: BHLDN | Accessories: Made by step-mother of the bride | Shoes: Repurposed Nine West wedges | Grooms Attire: New suit and tie | Transport: N/A | Flowers: Full Sun Farm | Stationery: Created by the groom | Cake: Made by family and friends | Décor: DIY | Music: Tiffany Thompson

Assinatura_AL

***

Muitas noivas e noivos, depois de passado o grande dia, acabam por ter o arrependimento de não terem estado tempo suficiente com os convidados no casamento. Hoje trazemos-vos uma alegre e espectacular alternativa que vos vai fazer repensar os casamentos de um só dia: Um fim-de-semana em modo Campos de Férias para adultos!

Com isto, preparem-se para inspiração rebelde como não há igual, planeada pelos nossos noivos de hoje Susannah e Jacob e fotografada pelos nossos fornecedores Fotografamos.

 

Quem são estes noivos rebel?

A Susannah e o Jacob definem-se como aventureiros, apaixonados por actividades ao ar livre e muito artísticos.

A relação deles começou com uma bonita amizade, já que foram colegas de quarto antes de começarem sequer a namorar, e foi só quando a Susannah se mudou para a outra ponta dos Estados Unidos que o Jacob se apercebeu de que gostava mesmo dela.

O pedido surgiu no meio de um dos vários vales geotérmicos da Islândia depois de uma bela caminhada e mergulho numa caldeira termal. “Como estávamos a passar tempo numa área mais isolada da Islândia, sem acesso telefónico, acabámos por aproveitar o pedido de casamento só os dois durante alguns dias. Foi fabuloso!” – partilhou a noiva com a SRB.

 

E assim começou o planeamento

Os Fotografamos, que lindamente contaram a história deste fim-de-semana de há dois anos atrás com as suas imagens, partilharam connosco que o que os fez apaixonar por estes dias foi o lado verdadeiro e único de todos aqueles momentos. “A Susannah e o Jacob quiseram fazer uma festa à medida deles, quiseram verdadeiramente integrar a família e criar memórias felizes. Não se preocuparam em organizar uma festa para ser capa de revista mas sim para ser fiel ao que eles são. Quiseram que o casamento deles fosse um marco em que finalmente os amigos e a família se poderiam conhecer e criar laços. O casamento deles simbolizou a união deles mas também de toda a tribo e isso é maravilhoso.”

E tudo aconteceu debaixo da temática de Casamento em modo Campo de Férias, na Carolina do Norte, no Camp Wayfarer!

Segundo os noivos, o que os levou a este tema foi o facto de quererem que “o casamento fosse especialmente sobre termos tempo de qualidade com todos. Alugar um Campo de Férias deu-nos a oportunidade de comer, beber e fazer jogos. Criámos uma marca própria para o fim-de-semana, chamada de “Weesayaydoo” (“We say I do!” – “Nós dizemos sim”) e divertimo-nos ao máximo com o tema”

 

Como tudo se faz em grande estilo

“A melhor parte do nosso casamento foi o facto de que foi um Campo de Férias para adultos a 100%, com uma cerimónia no final. Dividimos os nossos convidados em quatro equipas com cores diferentes, e cada uma podia ganhar pontos e emblemas de mérito durante o fim-de-semana. Os acampantes puderam mostrar o que valiam ao construírem barcos de cartão para uma competição aquática, em quizzes de cultura geral, com tiro ao alvo e tiro com arco, e várias gincanas. Depois de 3 dias intensos de actividades, juntámos os pontos e anunciámos os vencedores durante o jantar de casamento!”

A Marina e o Pedro dos Fotografamos também partilharam os seus momentos preferidos, como o acordar matinal ao som (bem alto) da Hound Dog do Elvis Presley; o prazer em assar marshmallows numa fogueira, bem ao estilo Americano; ver os amigos e a família dedicados a todas as actividades, independentemente da idade ou limitações físicas.

Adoraram ajudar a colher as flores para o grande dia e construir os barcos de cartão, assim como gritar pelas suas equipas para que ganhassem as várias competições. “O tom relaxado, despretensioso e maravilhoso que se sentia no ar! Tantas memórias maravilhosas!”
A juntar a isto, a S&J também partilharam que um dos momentos preferidos dos dois foi o show de talentos que organizaram em vez do típico jantar de ensaio que se faz nos EUA. ” Os nossos convidados mostraram o que valiam desde canções a stand up comedy, a mestria culinária! Foi incrível ver o que as nossas pessoas conseguiam fazer em palco em tão pouco tempo!”.

Quando lhes perguntámos se havia alguma coisa que mudariam, a resposta foi rápida: “Nope! Na verdade, até estamos a pensar em fazer o nosso 10º aniversário novamente ali e convidar toda a gente para uma reunião e mais jogos de equipa!”

O casal poupou dinheiro com a ajuda da família que fez as sobremesas (quadrados de limão e s’mores em vez de bolo), e todos os amigos ajudaram com os DIY de decoração e com a música durante o fim-de-semana.

Para além disso, o Jacob foi o responsável por criar um site do casamento e por desenhar todo o estacionário sozinho!

A Marina e o Pedro também partilharam connosco a lição mais valiosa que aprenderam durante o tempo que passaram com os noivos e amigos no Camp Wayfarer: “A Susannah e o Jacob prepararam tudo com muito carinho e sabemos que, quando nos empenhamos assim num projecto, queremos que ele corra na perfeição – de tal forma que muitas vezes ficamos ansiosos quando não corre exactamente como queremos. Sentimos que, durante o tempo que lá passámos, todos estávamos empenhados em que todos tivéssemos a melhor experiência possível. Achámos incrivelmente corajoso da parte deles deixar os amigos e família fazer a decoração sem qualquer supervisão. Achámos maravilhoso a tranquilidade com que aceitaram que não se poderia fazer a cerimónia lá fora devido ao mau tempo e se pôs em acção o plano B de fazer a cerimónia dentro de portas. Achámos fantástico o quanto a equipa do campo de férias e todos os amigos se esforçaram para que no final tudo corresse como eles mereciam. Estamos-lhes muito gratos pelo convite de nos levarem aos Estados Unidos para fotografar o casamento deles, mas principalmente por nos terem proporcionado um fim-de-semana recheado de amor, carinho, amizade e memórias inesquecíveis.”

Para finalizar, os maiores custos do casamento segundo os noivos foram para as bebidas e para a música do grande dia. “Para nós era mesmo importante que nada faltasse e que toda a gente dançasse até cair!”.

Nós na SRB não vemos nada de mal nisso! Podemos juntar-nos a todos na festa dos 10 anos? 🙂

 

Uma mensagem dos noivos aos rebels desse lado

“Antes de mais, os casamentos são dos noivos e das noivas de igual modo. Nós investimos igual tempo e esforço na preparação do nosso casamento, tal como investimos igual dedicação no nosso amor. Decidimos dividir para cada lado as tarefas em que éramos mais fortes para podermos liderar da melhor maneira possível. O Jacob é o visionário, o artista e o melhor em trabalhos manuais e eu sou melhor na logística e no olho para o detalhe.

Reconhecemos que o nosso casamento era uma ocasião rara para podermos juntar todos aqueles de quem realmente gostamos e achámos que seria uma excelente oportunidade de criar um evento que metesse todos a interagirem uns com os outros.

Não sintam que têm de fazer o que é tradicional e esperado. Esta é a altura para mostrarem quem são enquanto casal.”

Obrigada Jacob, Susannah, Marina e Pedro por partilharem connosco este fim-de-semana incrível. Trouxeram uma grande dose de inspiração à SRB, e já que em Portugal também temos muitos campos de férias maravilhosos, acreditamos mesmo que muitos noivos deste lado que vos acabaram de ler sentiram a mesma brisa de inspiração.

Ao casal, desejamos toda a felicidade do mundo… e mais além!

Vejam a galeria completa acima!

A Secret Elopement: opening your heart to your vendor

Real Wedding Wedding Inspiration

A Secret Elopement: opening your heart to your vendor

Being a wedding photographer is not just about getting to your wedding day and start snapping pictures of everything. It is actually so much more than that. Being in the industry and shooting the amount of weddings our vendor Adriana Morais does a year, for example, really makes her an expert in the field, and she could very well be any bride’s best friend and counsellor, as well as any of our vendors. And to prove this exactly, today we bring you a super-special alternative wedding at the beach and the perspective of this beautiful young photographer.

 

The Secret Wedding

The wedding was a secret one, lived to the fullest by Anja and Almir, who are from Bosnia originally, but currently live in Vienna, Austria.

 

According to Adriana, “Anja had done her exchange program in Portugal and had madly fallen in love with the wonders of our country. So it only seemed right that they’d get married here, surrounded by simplicity, something only theirs. They didn’t tell anyone, not even their parents that they were tying the knot! This is so rebel! So more then being their wedding photographer, they actually contacted me asking me for help in planning the day. It was such a wonderful feeling to be able to help the couple choosing the spot, flowers and any other details that would help make their day more unique!”.
Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-13 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-11 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-10
The couple got married in the morning at Lisbon’s registry office, and then they went for a walk with Adriana in the afternoon. They took pictures and celebrated the city of Lisbon through Mosteiro de São Vicente de Fora, Graça, Alfama, the Sé and Terreiro do Paço. By the end of the day, they did a symbolic ceremony at Bafureira beach in Cascais, exactly their way.
Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-20 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-19 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-18 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-17 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-16 Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-15
Adriana Morais - Anja and Almir Elopement-7
 “It was a perfect wedding! Small, intimate and simple. I loved Anja’s red hair and her H&M dress. And I love the fact that everything else was made by us.”, Adriana recalls. “It was such a privilege to be able to organize this day, help them create memories and taking them around the city. And since their families weren’t there, I am glad my pictures are now the mirror of what happened in Lisbon, and that they can show them to everyone when they get together.

 

It is a very fulfilling job, being a wedding photographer and having had the privilege of doing something so different and special.”.

 

Open Your Heart

Where I am going with this post, besides showing you how beautiful, inspiring and simple this wedding was, is to ask you to open your heart to your vendors when you book your wedding with them. If you booked it with them it’s because you trust them and feel like they believe what you believe and can help you build your dream day, right?

 

We know you have wonderful ideas of how it should all go, but remember, this is your first wedding (or second or third. Ok. ) but its their 1000th, and you can’t beat that. They are experts in the field. They’ve seen it all, they know not only what doesn’t go well, but even better, they know how they can help you make it even more special while keeping to your theme. Don’t be afraid to ask.

 

Stay curious, open your mind, listen, think about it and see if it would fit into your ideas and dreams, then decide (don’t forget that you still get to have the last word!)

As for our three stars of the day, thank you Anja, Almir and Adriana! Your wedding has inspired me to be more open to others opinions and suggestions, as they can sometimes be better than what I had in mind first. Sometimes, our dream wedding could very well be one good vendor advice away!
Credits: Photography: Adriana Morais Photography | Venue: Lisbon, Praia da Bafureira | Bride’s Dress: H&M | Hair & Make Up: 244 Avenida
Assinatura_AL
***

 Ser fotógrafo de casamento nos dias que correm não significa apenas chegar ao teu dia de casamento e desatar a tirar fotografias de tudo. Na verdade, os fotógrafos de hoje são bem mais do que isso. Estar na indústria e fotografar o número de casamentos que por exemplo a nossa fornecedora Adriana Morais fotografa por ano faz dela alguém muito experiente no ramo, e ela poderia muito bem tornar-se na melhor amiga e conselheira de qualquer noiva em apuros… bem, na verdade, assim como qualquer um dos nossos lindos fornecedores.

O Casamento Secreto

Para provar isto mesmo, hoje trazemos até vocês um casamento a dois na praia que é tão, tão especial e que aconteceu com a ajuda da Adriana! Foi secreto, vivido intensamente pelos noivos Anja e Almir, que são originalmente da Bósnia mas que vivem em Viena d’Áustria.

 

Segundo a Adriana, “A Anja fez erasmus em Portugal e apaixonou-se obviamente por este país solarengo. Assim, só fazia sentido que os dois se casassem cá, rodeados de simplicidade, algo que os caracteriza. Eles não contaram a ninguém, nem aos pais! Isto é tão rebel! E sendo que eles não sabiam por onde começar no planeamento, pediram-me ajuda com tudo. Foi uma sensação maravilhosa poder ajudar e fazer parte de algo assim, saber que eu estaria a ter um impacto bonito na história deles para além das fotografias. Eu ajudei na escolha do local, nas flores, e em qualquer outro detalhe onde fosse requisitado o meu conhecimento para que o dia pudesse ser mais único.”

 

O casal deu o nó de manhã, no registo civil em Lisboa, e depois foram passear com a Adriana. Tiraram fotografias e celebraram a cidade pelo Mosteiro de São Vicente de Fora, pela Graça, Alfama, viram a Sé de Lisboa e passearam pelo Terreiro do Paço. Ao final do dia, fizeram uma cerimónia simbólica na praia da Bafureira em Cascais, exactamente à sua maneira.

“Foi um casamento perfeito, pequeno, íntimo e simples. Adorei o cabelo ruivo da Anja e o seu vestido da H&M.

Tudo o resto foi feito por nós e foi maravilhoso poder contribuir também com as minhas fotografias, que são hoje as memórias daquele dia. Sem elas, não haveria o que mostrar às famílias que não estiveram presentes. O meu trabalho foi o espelho do amor que se viveu naquele dia em Lisboa e isso é uma sensação única.”

 

Abre o teu coração

Onde quero chegar com o post de hoje pode parecer um bocadinho controverso ao que normalmente dizemos na Rebel sobre “O teu casamento à tua maneira”, mas na verdade, tem tudo a ver. Hoje quero inspirar-vos desse lado a abrirem o vosso coração aos fornecedores que reservaram para o vosso casamento. Ao escolherem aqueles, significa que houve química, que vocês sentem que eles acreditam no que vocês acreditam, e que só eles poderão ajudar a concretizar os vossos sonhos para o dia.

 

Sabermos o que queremos para o nosso casamento é tão importante como saber ouvir qual a melhor forma de o solucionar, e os fornecedores da indústria escolhidos por vocês são experts no que fazem… este é se calhar o casamento número 1000 deles, enquanto que é o vosso primeiro (ou segundo ou terceiro, vá), mas não há como bater o número de casamentos feitos pelos vossos fornecedores!

 

Eles já viram de tudo, e para além de saberem o que não funciona, sabem especialmente como vos ajudar a chegar com sucesso à vossa temática e desejos.

 

Não tenham medo de perguntar. Mantenham-se curiosos e não os únicos detentores da verdade. Oiçam, pensem, e vejam se a ideia se adequa ao que projectaram (não se esqueçam de que vocês continuam a ter a última palavra!).

Quanto às nossas três pessoas especiais do dia, obrigada Anja, Almir e Adriana. O vosso casamento inspirou-me a estar mais aberta a feedback e sugestões, sendo que estou sempre muito defensiva. A palavra de ordem de hoje é “ouvir”, e a segunda é “sentir”. Hoje acredito que o nosso casamento perfeito pode estar mesmo só à distância de um bom conselho.
A DIY wedding like no other

Real Wedding Uncategorized

A DIY wedding like no other

One day, and because I was so happy with the course that my small business was taking, I decided to launch a giveaway where I would offer my services as a photographer for a wedding day to a couple who had to be crazy and rebel enough as I felt I was. After loads of votes and high competition on Facebook, Mariana and Augusto won.
I had never met them, and it was really crazy that we only got to meet each other on the day of the wedding. Normally, I set up a meeting, visit the spot… but life took us on this direction this time, and truth be told, I didn’t have a clue on what I was about to see.
The result, was that a wave of love invaded me from the beginning to the end. Mariana and Augusto’s wedding can’t be explained by words. It was rebel from beginning to end, and I still recall every moment of it now and then… I have to show it to you, little by little through this post, so that you can understand the emotions I felt. It was the true reflection of them as a couple and who they are with their special group of friends. Adventurers, unique, happy, problem solvers.
To both of them, I have to say thank you, for teaching me such valuable lessons, and specially, that friends are the most wonderful thing we have in this life. Their wedding truly inspired me to do ours.

Mi e Gusto parte I-85Mi e Gusto parte I-74 Mi e Gusto parte I-75Mi e Gusto parte I-84Mi e Gusto parte I-108Mi e Gusto parte I-109 Mi e Gusto parte I-6 Mi e Gusto parte I-13 Mi e Gusto parte I-18 Mi e Gusto parte I-22 The day started with rain, fog and cold. My first thought was “how is this going to happen?”.
The couple and their friends had gone to this farm two days before, to start all DIY projects they had in mind. They are scouts and used to big beautiful messes, and now they had a bunch of work done that couldn’t go outside. I really felt for Mariana, the bride, who had her breakfast in silence and kept looking outside. But in a few minutes, they all got together and developed a plan. This wedding was going to happen no matter what, and it was going to be freaking amazing. I confess that by the time i arrived and saw them talking, I thought it would be impossible to have it all done in three hours, but they showed me that miracles really can happen if you put your mind and soul into them.
Little by little, teams gathered and started moving, cooking, baking, collecting flowers, arranging tables and new rooms in the farm. I was enchanted with so much happiness and love that not even the rain could tear apart.

Mi e Gusto parte I-88Mi e Gusto parte I-90Mi e Gusto parte I-96Mi e Gusto parte I-116Mi e Gusto parte I-121Mi e Gusto parte I-131

The bride and groom (and most of the friends) are Adventists of the 7th day, which meant no alcohol, so they had grape juice bottled like wine, and the groom who is a designer made the labels for the bottles.Mi e Gusto parte I-68Mi e Gusto parte I-343Mi e Gusto parte I-347Mi e Gusto parte I-148Mi e Gusto parte I-194Mi e Gusto parte I-160Mi e Gusto parte I-140Mi e Gusto parte I-146Mi e Gusto parte I-299Mi e Gusto parte I-301Mi e Gusto parte I-183Mi e Gusto parte I-180Mi e Gusto parte I-182Mi e Gusto parte I-173Mi e Gusto parte I-115Mi e Gusto parte II-388 Mi e Gusto parte I-189 Mi e Gusto parte I-202 Mi e Gusto parte II-70 Mi e Gusto parte II-72

I’ve blogged about this wedding favour for the guests here! What an inspiring gift!

Mi e Gusto parte I-37 Mi e Gusto parte I-39 Mi e Gusto parte I-45 Mi e Gusto parte I-51 Mi e Gusto parte I-54 Mi e Gusto parte I-66

Mariana had a star sewed to her dress that came from her grandfather’s handkerchief. A beautiful way to remember those who unfortunately can’t make it to such a beautiful day. Mi e Gusto parte I-206 Mi e Gusto parte I-216 Mi e Gusto parte I-220 Mi e Gusto parte I-231 Mi e Gusto parte I-236 Mi e Gusto parte I-243 Mi e Gusto parte I-249 Mi e Gusto parte I-254 Mi e Gusto parte I-276 Mi e Gusto parte I-285 Mi e Gusto parte I-291 Mi e Gusto parte I-355 Mi e Gusto parte I-357 Mi e Gusto parte I-369 Mi e Gusto parte I-370 Mi e Gusto parte I-371 Mi e Gusto parte I-378 Mi e Gusto parte I-382 Mi e Gusto parte I-396

I will never ever forget her yellow shoes! She had yellow high heels for the day, but she really didn’t want to wear them since they weren’t her style, but the mother insisted. In the end, with the mess inside all the bedrooms, they got lost! People searched and searched for them, but all they could find was these yellow converse-kinda-shoes. Her face was blooming with such happiness and satisfaction. She wore what she loved and how she felt most comfy. Sometimes the universe really gives you a hand… or shoes!Mi e Gusto parte I-398 Mi e Gusto parte I-399 Mi e Gusto parte I-409 Mi e Gusto parte II-3 Mi e Gusto parte II-10 Mi e Gusto parte II-22 Mi e Gusto parte II-26 Mi e Gusto parte II-66 Mi e Gusto parte II-77 Mi e Gusto parte II-78

Their friends played all the songs and this was the first time I cried while photographing a wedding… The atmosphere, the pride, the love. Everybody was so honestly happy for this wedding to happen, and since they helped so much, there were truly no words. Everyone felt like they belonged there. And nothing pays that feeling.Mi e Gusto parte II-80 Mi e Gusto parte II-81

Another idea I loved was how Mariana did her bouquet. She asked her most important friends to hold flowers in their hands so that she could collect them while walking to the aisle with her father. Everyone did their small bouquet, and in the end she had a piece of their creativity and love in her hands.Mi e Gusto parte II-83 Mi e Gusto parte II-87 Mi e Gusto parte II-96 Mi e Gusto parte II-101 Mi e Gusto parte II-104 Mi e Gusto parte II-119 Mi e Gusto parte II-124 Mi e Gusto parte II-129 Mi e Gusto parte II-130 Mi e Gusto parte II-136 Mi e Gusto parte II-150 Mi e Gusto parte II-169 Mi e Gusto parte II-174 Mi e Gusto parte II-195 Mi e Gusto parte II-202 Mi e Gusto parte II-204 Mi e Gusto parte II-208

I cry, you cry, we all cry. Because love when real and profound, causes these reactions.Mi e Gusto parte II-233 Mi e Gusto parte II-243 Mi e Gusto parte II-251 Mi e Gusto parte II-258 Mi e Gusto parte II-263 Mi e Gusto parte II-264 Mi e Gusto parte II-270 Mi e Gusto parte II-274 Mi e Gusto parte II-281

I also truly loved the bench idea. Instead of a book for the guests to sign, they had a wooden bench made for the ceremony, that after would be written on and marked with everyones fingerprints. Nowadays it is a bench that is an important part of their home furniture.Mi e Gusto parte II-282 Mi e Gusto parte II-284 Mi e Gusto parte II-287 Mi e Gusto parte II-289 Mi e Gusto parte II-291 Mi e Gusto parte II-294

Augusto proposed to Mariana by wrapping her finger with a flower stalk. Inspired by that moment, they had their wedding rings made with the same shape.Mi e Gusto parte II-300 Mi e Gusto parte II-317 Mi e Gusto parte II-322 Mi e Gusto parte II-325 Mi e Gusto parte II-331

While stamping their fingerprints on a piece of fabric, they tied them to balloons to release after the ceremony. At the same time, their friends painted one of their feet to stamp on a cork that said “from now on we are one”.Mi e Gusto parte II-351 Mi e Gusto parte II-356 Mi e Gusto parte II-363 Mi e Gusto parte III-19Mi e Gusto parte III-42 Mi e Gusto parte III-47 Mi e Gusto parte III-59 Mi e Gusto parte III-66 Mi e Gusto parte III-70 Mi e Gusto parte III-76 Mi e Gusto parte III-80 Mi e Gusto parte III-83 Mi e Gusto parte III-88 Mi e Gusto parte III-91 Mi e Gusto parte III-93 Mi e Gusto parte III-95 Mi e Gusto parte III-104 Mi e Gusto parte III-119 Mi e Gusto parte III-121 Mi e Gusto parte III-124 Mi e Gusto parte III-126 Mi e Gusto parte III-133 Mi e Gusto parte III-135 Mi e Gusto parte III-140

It was and still is one of my favourite weddings ever. This is truly the reason why I am a wedding photographer.

Photos: Luisa Starling

Assinatura_AL

***

Um dia, e porque o meu pequeno negócio estava a correr bem, lancei um passatempo louco no Doce para o meu Doce e na Starling. Eu queria oferecer as fotografias de casamento a um casal que entrasse comigo nesta loucura e que fosse muito rebel à sua maneira. Depois de muitos votos, e de uma competição muito renhida, A Mariana e o Augusto venceram.
Eu não os conhecia, nunca os tinha visto na vida. Foi de facto uma loucura porque só nos conhecemos pessoalmente no dia do casamento, algo que nunca faço. Há sempre uma reunião, conhecer o espaço… neste caso, a vida levou-nos por este caminho, e eu não sabia sequer ao que ia!
O resultado, foi que uma onda de ternura me preencheu do princípio ao fim. O casamento da Mariana e do Augusto foi algo de único e de inexplicável… Tenho de vos mostrar um bocadinho de cada momento, para perceberem o montão de emoções que me inundaram neste dia. Foi o verdadeiro reflexo deste casal e do que eles são juntos e entre os seus amigos. Aventureiros, únicos, felizes e grandes problem solvers.
Aos dois, obrigada por me mostrarem mensagens tão bonitas, e especialmente, que os nossos amigos são a melhor coisa que temos. Este casamento inspirou o meu do princípio ao fim.

O dia amanheceu chuvoso, com nevoeiro e frio. O meu primeiro pensamento foi não acreditar que o dia estava assim… Quem é que quer casar com chuva, e com tudo preparado lá para fora? Ninguém merece.
Os noivos e os amigos tinham ido para a quinta dois dias antes para terem tudo preparado. Escuteiros, estão habituadíssimos ao campo e a camaratas cheias de confusão. Tinham milhares de elementos DIY por todo o lado, e agora não os podiam expor. A Mariana, a noiva, tomava o pequeno almoço em silêncio sentada nas escadas, e eu via-a a olhar lá para fora com uma cara triste… Mas em pouco tempo, observei-os a delinearem um plano para aquele casamento se resolver. Ao começarem, e com o estado do tempo, cheguei a pensar que seria impossível terem tudo a postos em três horas… mas os milagres acontecem mesmo se metermos a nossa vontade e fé neles.
Pouco a pouco, equipas começaram a juntar-se na cozinha, lá fora, a recolher flores. Eu estava encantada com a alegria que reinava e que nem a chuva poderia alguma vez deitar abaixo.

De entre alguns dos detalhes do casamento, relembro as lindas garrafas de vinho (com sumo de uva, porque os noivos e muitos dos convidados são Adventistas do Sétimo Dia), com rótulos feitos pelo noivo. Relembro as prendas para os convidados, que já vos mostrei uma vez noutro post, e a estrelinha cozida no vestido da Mariana, que pertencia a um antigo lenço do seu avô.

Um dos meus momentos preferidos aconteceu durante a preparação da Mariana. Ela tinha algures uns sapatos de salto alto amarelos para usar no dia (escusado será dizer que ela não se identificava minimamente com eles, mas tinha cedido em levar)… O mais engraçado, é que com a confusão na casa, e depois de muita gente os procurar, nunca mais os viram. Sorte que ela tinha uns ténis de backup (e que queria mesmo muito usar). Ela prometeu-me a pés juntos que não os tinha escondido. E assim, do nada, a vida dá-nos uma mão… ou neste caso, sapatos!

Durante a cerimónia foram muitas as canções feitas pelos amigos dos dois, e este foi o primeiro casamento em que eu chorei. Todos estavam verdadeiramente felizes com aquele dia e sentiam-no como deles, sentiam-se como parte integrante e especial. Não há nada que pague um ambiente assim tão mágico… para a entrada da noiva, ela pediu às suas pessoas mais especiais que tivessem pequenos bouquets nas mãos que ela apanharia a caminho do “altar”. No final, teria uma linda junção da criatividade e amor daquelas pessoas.

Outro pormenor delicioso foi o banco usado para a cerimónia e mandado construir para aquele dia. Em vez de um livro de honra, aquele foi o objecto em que todos assinaram e deixaram a impressão digital. Hoje é parte integrante da mobília da casa dos dois!

Na troca das alianças, pudemos ver os anéis feitos de propósito para o casal. O Augusto pediu a Mariana em casamento com um caule de uma flor enrolado no dedo dela e isso foi a inspiração para os anéis que os dois trocavam no dia. Por fim, outro dos meus momentos mais que preferidos foi a estampagem das impressões digitais dos dois num tecido, atado a balões para largarem no final da cerimónia. Ao mesmo tempo, os amigos pintaram um dos pés de cada um e carimbaram-nos num pedaço de cortiça que dizia “De agora em diante somos 1”. Enquanto passavam pelos convidados, eram atiradas ao ar estrelinhas em papel biodegradável.

Este foi e ainda é dos meus casamentos preferidos de sempre. É a razão pela qual sou uma fotógrafa de casamentos.

Village Underground Wedding – London

Real Wedding Wedding Inspiration

Village Underground Wedding – London

 Laura Babb was amazing at capturing Luke and Natalie’s rebel wedding at the Village Underground in London. Their requirements were so that she could do her thing (this is a photographers dream, really), and she loved their laid back feeling, the fact that this was such a cool and urban celebration with friends and family and the fact that they were so genuinely happy.
The ceremony took place at St Botolph without Aldgate and the reception happened at the iconic Village Underground in Shoreditch. A mix of traditional and rebel, which made the day even more special and made us fall in love with it even more. They truly did it THEIR way, and that is why we love every detail Laura captured.
According to her, she had two favourite moments of the day: The speeches, which were super emotional, and the couples shoot at the rooftop of VUL, while the sun was coming down. But let’s start from the beginning…
Village Underground Wedding Photography-2 Village Underground Wedding Photography-3 Village Underground Wedding Photography-4 Village Underground Wedding Photography-5 Village Underground Wedding Photography-7 Village Underground Wedding Photography-8 Village Underground Wedding Photography-14 Village Underground Wedding Photography-15 Village Underground Wedding Photography-17 Village Underground Wedding Photography-21 Village Underground Wedding Photography-28 Village Underground Wedding Photography-27 Village Underground Wedding Photography-31 Village Underground Wedding Photography-32 Village Underground Wedding Photography-34 Village Underground Wedding Photography-35 Village Underground Wedding Photography-36 Village Underground Wedding Photography-37
 Luke and Natalie’s story started when they met at ballet school at the ages of 16/17 (this is so deliciously rebel! A dancing couple!).
According to Luke, “after a successful and very classy first date at Pret A Manger, we began dating and during that time dance took us all over, sometimes to different countries and away from each other. Three years in and Natalie had just been on a tour of China when she came back to a secretly planned getaway to the countryside. It was simple, quiet (and raining) when I proposed. It sounds romantic when you say it now but at the time it was pretty wet.”
But life wasn’t easy for these two after the proposal. They still spent some years apart after Natalie moved to Wales to dance with a company and Luke remained dancing in London. Another three years passed, along with many many train/bus journeys, before they tied the knot. “Now for the first time in roughly four years we will be in the same place!” – he says with a smile on his face.
 Village Underground Wedding Photography-39 Village Underground Wedding Photography-40 Village Underground Wedding Photography-41 Village Underground Wedding Photography-43 Village Underground Wedding Photography-45 Village Underground Wedding Photography-46 Village Underground Wedding Photography-48 Village Underground Wedding Photography-49 Village Underground Wedding Photography-50 Village Underground Wedding Photography-51 Village Underground Wedding Photography-53 Village Underground Wedding Photography-60 Village Underground Wedding Photography-61 Village Underground Wedding Photography-62 Village Underground Wedding Photography-63
 Luke and Natalie got married in church, and though you might think this takes the rebelness away from their day, it doesn’t. They did it their way all the way, and that is what it means to be a rebel. Also, there was another special reason: according to Luke, “we chose our Chuch, St Botolph without Aldgate, not
just for the great name. Getting married with a faith aspect involved was always something we wanted and we also love the inclusive ethos of this particular church. In fact the Lesbian and Gay Christian Movement was founded there. This is something that was very important to us. It was a bit of a bonus that the Church happened to be beautiful and right in the heart of the City!” (there you go, rebel, all the way)
As for the ceremony itself, “the most special thing was saying those vows to each other! A particular special moment for Natalie was standing at the front with her Dad, who gave her hand a big squeeze just before he gave her away. Natalie’s brothers and two of her best friends did readings, one from the Bible and one from Captain Corelli’s Mandolin.Two of my favourite books! My Dad then said a really personal prayer for us which was a particularly lovely moment. I think what was really special for us was the amount of support from our friends and family.
There was so much cheering and whooping, it drowned out the Marvin Gaye track we had playing as we left the Church!”
Village Underground Wedding Photography-67 Village Underground Wedding Photography-68 Village Underground Wedding Photography-69 Village Underground Wedding Photography-70 Village Underground Wedding Photography-71 Village Underground Wedding Photography-74 Village Underground Wedding Photography-75 Village Underground Wedding Photography-77 Village Underground Wedding Photography-78 Village Underground Wedding Photography-82 Village Underground Wedding Photography-83 Village Underground Wedding Photography-85 Village Underground Wedding Photography-88 Village Underground Wedding Photography-90 Village Underground Wedding Photography-91 Village Underground Wedding Photography-92 Village Underground Wedding Photography-93 Village Underground Wedding Photography-94 Village Underground Wedding Photography-97
When describing their wedding, both agree that it was simple, with lots of personal touches. There were no centrepieces as such, but Natalie and Luke’s sister, Naomi, went to Covent Garden Flower Market at 6am the day before and bought flowers in bulk which they and the bridesmaids then spent the afternoon assembling into hundreds of jam jars collected by friends and family. “This was a really cheap way of doing things and was also lovely as it got friends and family involved” – Luke said. “We had a lot of bunting hanging, that Natalie had been cutting out since January! My cousin Sheena, Nat’s Mum and friend Camille all volunteered their sewing skills and put together nearly 200m of it! With that above and the flowers below, it made the room feel colourful and bright which is something we wanted.”
Building something together for the big day is all about being a rebel. Bringing family and friends together, making them feel the party as theirs as well, and that things couldn’t have gone so well if they hadn’t been involved in the process. It just makes things so personal and beautiful.
Village Underground Wedding Photography-72
Village Underground Wedding Photography-73
Village Underground Wedding Photography-105
“All the invites and order of services were a massive money saver.” – said the bride. “Luke drew the designs, ordered the paper online and printed them off at a local printers.”
When talking about their reception, both remember VUL with joy. “Village Underground was an easy choice. It’s an amazing place that really reflects our love of this city and as soon as we walked in we could see ourselves, family and friends having a party there. We’d always said in the planning we wanted a big party and Village Underground is perfect for just that. We met the lovely Laura who deals with the hiring of the venue and she confirmed that it most definitely was the right place. She made the whole process a total joy and really helped us bring our vision to life.” Way to go, rebels!
On this subject, we at SRB would like to let you know that Village Underground London has a sister (or brother) in Lisbon, Portugal. Yep, if you liked the amazing atmosphere of the photos shown here by talented Laura Babb you’ll be pleased to know that we also have a beautiful Village Underground Lisbon! Take a stroll over there in Alcântara, inside Carris headquarters, and let Mariana show you around and let you know of all the possibilites for the ceremony and reception. It is filled with street art, you can see the river and 25th of April’s bridge and the sunset is just perfect on a summer day.
Village Underground Wedding Photography-80 Village Underground Wedding Photography-81 Village Underground Wedding Photography-113 Village Underground Wedding Photography-114 Village Underground Wedding Photography-115
As a final advice for other rebel brides and grooms out there, Luke and Natalie left a touching message: “It will all be fine! Talk lots, laugh lots and stay true to what you want to do. There’ll be stressful moments building up to it, but mostly it’s a lot of fun. If the day is an honest representation of you both, everyone who comes will see that and love it, as will you.” We couldn’t have said it better. This is a true rebel message.
Thank you so much for sharing this amazing day with us, Luke, Natalie and Laura! We truly appreciate your time, and the inspiration you are giving our brides.
Did you on that side love this wedding as much as we did? Let us know in the comments!
Photographer: Laura Babb from Babb Photo | Wedding Venue: St Botolph without Aldgate | Wedding Reception: Village Underground | Wedding Dress: Alexa Dress by Minna, London. | Shoes: Brown sandals from Schuh | Grooms Attire: Our Legacy | Transport: Black cab | Flowers, bouquets and flower crown: Hattie from ‘That Flower Shop’  | Stationery: Handmade by Luke | Cake: 15 homemade cakes from the guests | Décor: Tables and Chairs from Virginias Vintage Hire
Assinatura_AL
***
 Laura Babb foi maravilhosa a captar o lindo casamento rebel do Luke e da Natalie no Village Underground de Londres e com cerimónia na igreja de St Botolph without Aldgate . Tudo o que eles lhe pediram foi que ela fotografasse à sua maneira, de forma a captar os momentos mais genuínos (isto é mesmo o sonho de qualquer fotógrafo), e nas palavras dela, adorou que este tivesse sido um casamento tão descontraído, muito urbano, e uma celebração com amigos e família onde todos estavam verdadeiramente felizes. O pôr-do-sol com os noivos no telhado do VUL e os discursos foram a sua parte preferida.
Tudo aconteceu num misto de tradicional com rebelde, o que fez do dia ainda mais especial, e aqui deste lado, fez com que nos apaixonássemos por todos os detalhes. Estes noivos fizeram tudo à SUA MANEIRA, e para os conhecerem um pouco melhor, vamos começar pelo início desta história a dois…
O Luke e a Natalie conheceram-se quando tinham cerca de 16/17 anos na escola de ballet (oh, tão rebel!). 
De acordo com o Luke, “depois de um primeiro encontro de sucesso no Pret A Manger, começámos a namorar e a dança levou-nos a todo o lado, por vezes a outros países juntos, e noutras ocasiões, para longe um do outro. Depois de três anos, e logo após uma estadia da Nat na China para um projecto, planeámos uma escapadela romântica a dois no campo. Decidi pedi-la em casamento nessa altura, e estava tudo muito simples e a chover quando fiz A pergunta. Soa tudo a romântico, quando dito desta forma, mas a verdade é que estávamos mesmo todos molhados!”
A vida ainda assim não foi fácil para estes dois depois do pedido. Ainda tiveram mais um teste à relação quando a Natalie teve de se mudar para o país de Gales por três anos enquanto o Luke ficou a dançar em Londres. Muitas e intermináveis viagens de comboio e autocarro uniam e desuniam o casal até que finalmente deram o nó. “Agora, pela primeira vez em cerca de 4 anos, estamos finalmente a viver no mesmo sítio!” – contou o Luke com um sorriso no rosto.
Os dois casaram na igreja, e ainda que estejam a pensar que isto não é lá muito rebelde, a verdade é que é. Fizeram-no tal e qual a sua vontade, e isso sim, representa um rebel. Além disso, os dois têm mais uma razão muito especial por ter sido aquela a igreja em questão. Segundo o Luke “casar na fé sempre foi algo com que nos identificámos, mas para além disso, apoiamos a ética desta igreja em particular. O movimento cristão gay e lésbico em Londres começou aqui, e apoiar esta causa é algo com que temos muita empatia. Depois, foi como que um bónus que esta igreja se encontra mesmo no centro da cidade de Londres e o facto de que é tão bonita!” (Rebel o suficiente para vocês? Aqui convenceu-nos!)
 Durante a cerimónia, ele contou-nos também alguns detalhes que recorda com carinho. “A parte mais especial foi dizermos os votos um ao outro! Outro momento especial em particular para a Natalie foi quando o mai dela lhe apertou a mão com força antes de a entregar a mim. Os irmãos dela e duas das melhores amigas leram passagens da bíblia e do meu livro preferido “O bandolim do capitão Corelli” e o meu pai também fez uma oração personalizada para nós que foi muito bonita e especial. Depois no geral, foi incrível todo o apoio que tivemos da nossa família e amigos naquele dia. Houve tanto festejo e palmas no final da cerimónia que nem se ouviu a música do Marvin Gaye que tínhamos escolhido para a saída da igreja!”
Quando descreveram o casamento no seu todo, ambos concordaram na simplicidade e nos toques pessoais. Não tinham centros de mesa em si, mas a Natalie e a irmã do Luke foram ao mercado das Flores em Convent Garden às 6 da manhã do dia anterior, e juntamente com as madrinhas passaram a tarde a fazer os arranjos florais em centenas de jarros coleccionados ao longo do ano pelos amigos e família. “Esta foi uma forma barata de fazermos a decoração e também foi bonita porque envolvemos a família e os amigos em tudo” – contou-nos o noivo. “Tivemos bandeiras penduradas no tecto que a Nat já estava a cortar desde Janeiro. A minha prima Sheena, a mãe da Nat e uma amiga, a Camille, voluntariaram a sua perícia em costura e coseram quase 200 metros de bandeirolas! Com isso por cima e as flores por baixo, fizemos daquela sala algo de muito colorido e brilhante, o que fazia parte da nossa visão. O nosso bolo de casamento foi feito também em equipa, e em vez de um, tivemos a colaboração da família para compor toda a mesa de bolos!”.
Construir algo em comunidade para o grande dia também faz parte de uma personalidade rebel. Trazer os amigos e a família e tê-los como parte integrante da construção do casamento faz com que também sintam o casamento como seu, e que nada teria sido ou ficado tão bonito se não fosse a ajuda e apoio deles no processo. Torna tudo especial e personalizado ao detalhe.
“Conseguimos também poupar muito dinheiro nos convites e estacionário.” – contou-nos a noiva. “O Luke desenhou tudo, encomendou o papel online e imprimiu numa gráfica local”.
“O Village Underground era um dos nossos maiores sonhos para termos a nossa festa. É um espaço maravilhoso que reflecte o nosso amor pela cidade de Londres e assim que entrámos para o visitar da primeira vez sabíamos que era ali que queríamos ter os amigos e família a celebrar a nossa união. Era simplesmente perfeito para nós. Depois de tratarmos dos detalhes, a Laura, encarregue do espaço ajudou-nos a trazer a nossa visão para a realidade e adoramos cada detalhe!”
Neste assunto, na SRB queremos também relembrar-vos da existência de um irmão (ou irmã) do Village Underground de Londres em Lisboa, na sede da Carris em Alcântara! Se gostam das fotografias e atmosfera captadas pela talentosa Laura Babb, podem sempre inspirar-se no conceito e falar com a querida Mariana do VULisboa. O espaço está cheio de street art, tem vista para o rio, e num dia de verão o pôr-do-sol é simplesmente dos melhores que há.
Como conselho final para os nossos noivos e noivas, o Luke e a Natalie deixaram também uma mensagem: “Tudo vai correr bem. Conversem muito, riam muito e mantenham-se fiéis a quem são e ao que querem mesmo fazer. Vão existir momentos stressantes no planeamento, mas na maioria é muito divertido. Se o dia for a representação honesta de quem são os dois, todos os presentes vão sentir isso e vão adorar cada detalhe tal como vocês”. Isto é uma verdadeira mensagem rebel!
Obrigada por partilharem o vosso dia connosco, Luke, Natalie e Laura (pelas fotografias). Deram-nos verdadeira inspiração!
Se gostaram, espreitem a galeria completa acima e deixem-nos também a vossa opinião nos comentários!
Wedding fun has a dance… Chicken Dance!

Real Wedding

Wedding fun has a dance… Chicken Dance!

There are many things you can do at your wedding to have fun and ensure your guests have too. Since today is the National Do the Chicken Dance Day (who would guess the Chicken Dance had a day of its own) we thought of showing you a few videos where you can see lovely couples having a blast doing this dance.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=unS0-EBf8_8&w=420&h=315]

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=QyummIyPw7E&w=420&h=315]

 

Pretty soon we will show you one of our favourites. But for now, practice the dance and be the life of the party.

Have a wonderful weekend.

Featured image: WikiHow “Do the Chicken Dance”

assinatura_pv

***

Há muitas formas de trazer diversão à tua festa de casamento. Umas mais interessantes e outras simplesmente divertidas e que trazem ao de cimo a criança que existe em nós. Sendo hoje o Dia de Fazer a Chicken Dance (quem diria que esta dança tem um dia só para si) achámos que seria giro partilhar contigo alguns vídeos de casais que se divertiram e muito a fazê-la no seu dia de casamento.

Aqui na SRB temos uma que é a nossa eterna favorita e quem sabe em breve vamos encher-nos de coragem e fazer um mini video para te mostrar. Mas para já, pratica esta e arrasa na pista de dança.

Tem um excelente fim de semana!

Are there wedding journalists out there?

Real Wedding

Are there wedding journalists out there?

Today being the International Press Freedom Day, we thought of mentioning it in a different way. Well, after all, we are a Rebel blog.

In Portugal there is no tradition of wedding journalists. I am not sure why but will certainly look into it. However, in the US and UK it is normal to have a newspaper section with a couple’s love story. A good example is the New York Times.

Sadly, and even though it is love they are writing about, wedding journalism is seen as a sort of minor form of journalism. Being a hopeless romantic, and considering this form of journalism a very special one, it makes me sad to see it is treated in such a way. Writing a love story requires art and talent, passion and a significant amount of romantic DNA.

We are talking about freedom, right? Like in so many things, at SRB we stand for you should write what you want. But we are not just poster fighters, we talk the talk and walk the walk. So, we leave you with a few of our articles that tell a real wedding love story  – Belinda&Houry, Ju&B and Catarina&Pedro – and also a suggestion:

If as journalist what you would REALLY love writing is wedding stories, why not create a website and offer that service? Try starting with your friends stories so you can create a portfolio. Set a price for your services and, go ahead, do your thing. Freedom of Press means a lot of things and it is a right we conquered. Find out what it means to you and live it!

Featured photo: Carrie Bradshaw SATC – Vogue.co.uk

assinatura_pv

***

Sendo que hoje é o dia da Liberdade de Imprensa, pensámos fazer-lhe referência de uma forma bem… Rebel!

Lembrei-me que uma das áreas do jornalismo que tem pouca ou nenhuma expressão em Portugal é o jornalismo de casamentos, contrariamente aos EUA e Reino Unido onde há colunas específicas para anunciar noivados e contar histórias do casamento. Vejam o caso do New York Times.

Infelizmente, e apesar de ser sobre amor que se escreve, este tipo de jornalismo não é sempre “olhado” da melhor forma. E arrisco-me a dizer que estes jornalistas acabam por ser os enteados da família. Claro que, sendo eu uma romântica incurável, fico profundamente triste com este tratamento.

Apesar de parecer simples, escrever sobre amor não é para todos. Requer arte e mestria, uma boa dose de poesia e uma exímia capacidade de contar, apaixonadamente, a história de amor alheia.

Mas estamos a falar de Liberdade, certo? Como é já hábito da SRB, defendemos que deves escrever o que tu queres. E como somos bem mais do que meninas de manifestação com cartazes levantados, somos fazedoras, impulsionadoras, queremos que este post seja inspirador para ti e fazêmo-lo de duas formas:

Relembrando histórias reais de casais que já partilhámos aqui:  da Belinda e Houry, da Ju e B e da Catarina e do Pedro.

E deixando-te uma ideia fresquinha: se é MESMO histórias de casamento, de noivado, de amor que queres escrever, e se tens um talento inato para isso, porque não criares a tua página e disponibilizares este serviço? Começa por escrever histórias de amigos e famíliares para que quem o visite tenha onde se inspirar. Estabelece um preço e avança.

A Liberdade de Imprensa é uma conquista, de um direito, mas também de um dever. Encontra em ti o seu significado e deixa que essa liberdade se torne algo de valor para ti e vive-o!