Categoria: Organization & Planning

This is rebel: A vida Portuguesa

Accessories Decor Organization & Planning Wedding Inspiration

This is rebel: A vida Portuguesa

The other day, as I was visiting one of my favourite stores in Lisbon, A Vida Portuguesa, I passed by a table set that caught my attention. It was so simple and beautiful. The porcelain by Bordalo Pinheiro did part of the magic, then, the details, like the cloth under the plates, the napkins, or the swallows that are such a portuguese symbol. It made me think of beautiful long tables decorated just like this for a wedding inspired by the Portuguese culture. If added soft flowers or just greens and candles, one would have such a lovely and delicate wedding table decor. Because you don’t need much to make a table shine when you are using Portuguese products, and that is so rebel! I couldn’t resist in taking a picture with my iPhone, because this deserved being shared.

And why is A Vida Portuguesa a rebel? Well, in their manifesto, you can learn that what they do is search for the most unique products our country ever had, and they keep them simple, beautiful and in the naive packaging they were first made. A Vida Portuguesa is a rebel because it stays true to itself and to what Portugal was and is to present times.

It is the perfect fit for that bride who wants to have a touch of Portugal in her wedding, perfect for wedding favours for the guests, perfect to bring home and remember ones portuguese roots.

If you are visiting Portugal for the first time, please do pay them a visit!

Stores:

Chiado

Rua Anchieta 11
1200-­023 Lisboa
T: +351 213 465 073
lojachiado@avidaportuguesa.com

 

Intendente 
Largo do Intendente Pina Manique 23
1100­-285 Lisboa
T: +351 211 974 512
lojaintendente@avidaportuguesa.com
l
ivraria@avidaportuguesa.com

 

Mercado da Ribeira 

Avenida 24 de Julho
1200-­481 Lisboa
T: +351 211 368 446
lojaribeira@avidaportuguesa.com

 

Porto
Rua Galeria de Paris 20 ­ 1º
4050­-162 Porto
T: +351 222 022 105
lojaporto@avidaportuguesa.com

 

Online store

Assinatura_AL

***

No outro dia, enquanto visitava uma das minhas lojas preferidas em Lisboa, A Vida Portuguesa, passei por uma mesa que me roubou toda a atenção. Estava tão simples e bonita. A loiça de Bordalo Pinheiro fazia parte da magia, e depois os complementos, como a toalha por baixo, a marcar os lugares de duas pessoas sentadas frente-a-frente, os guardanapos e as andorinhas que são um símbolo tão português.

Fez-me imaginar lindas mesas compridas, decoradas assim, para um casamento inspirado na cultura portuguesa. Se adicionadas flores com cores suaves, ou simplesmente verdes, e velas, o resultado seria tão bonito e simples. Porque não é preciso muito para uma mesa à moda portuguesa ser incrível, A simplicidade derruba qualquer exuberância, e os produtos do nosso país são rebels por isso mesmo. Eu não resisti em pegar no telefone e tirar uma fotografia, porque algo assim tinha de ser partilhado.

E porque é que A Vida Portuguesa é para nós uma rebel? No seu manifesto podem aprender que “A Vida Portuguesa nasceu com a vontade de inventariar as marcas sobreviventes ao tempo. (…) Ao longo dos últimos anos pesquisámos, do Norte ao Sul de Portugal, produtos de criação e fabricação portuguesa. (…) produtos que atravessaram gerações e nos tocam o coração. Fabricados desde há muito, mantiveram até aos dias de hoje as mesmas embalagens originais, bonitas, pueris.”

A Vida Portuguesa é uma rebel porque mantém a sua essência e os produtos fiéis ao que sempre foram no nosso país. E porque não os deixa morrer.

É a marca perfeita para aquela noiva que quer ter um toque de Portugal no seu casamento, perfeito para prendas para os convidados e perfeito para trazer para casa e recordar sempre as raízes Portuguesas.

Se estão de visita a Portugal pela primeira vez, vão até lá! As lojas estão listadas acima.

7 Signs you are a Bridezilla and how to stop it

Organization & Planning Wedding advices

7 Signs you are a Bridezilla and how to stop it

The other day I was talking to a friend who’s best friend is getting married. She was so upset and overwhelmed by it that for about 30-40min that is all she could talk about, complaining about the demands of the bride-to-be.

It got me thinking that there is a fine line between Excited Bride and Bridezilla and, sadly, quite often it is crossed to the misery of friends and family.

As I heard the story I created a list of Bridezilla Signs that you should not ignore when interacting with your friends:

  1. You do all the talking in every meeting.
  2. You created a Whatsapp group where you vomit all your bridal ideas all day long.
  3. You have a (long) list of things your friends could (you actually wrote “must”) do to make you feel special.
  4. You make people feel bad for not doing something with or for you by saying things like “But it is my wedding day, I just want it to be perfect!”
  5. You have a melt down every time something goes wrong.
  6. You expect your entourage to take the week before your w-day off to help you out with details.
  7. You stopped using “Please” and “Thank you” and simply demand people to do what you want.

If you are doing 1 or more, you are in the Bridezilla zone.

But remember the title of this post? “…and how to stop it”. Yes, that’s right, we wouldn’t leave you out and dry. To stop the whole Bridezilla Act we have just one suggestion, yep, just one:

GET OUT OF YOUR WEDDING HEAD!

Surprised it is just one little thing? You shouldn’t! At SRB we like to keep things simple.

But even though this seems like one of those cases it is not. It is not easy – at all – to keep yourself under check, to control your urge to share every single detail wedd-related, to actually listen to the opinions you asked for and, finally, to allow this to be a moment of connection, a shared celebration that will be about you and your groom/bride, but one you want to be about those you love, those that love you and those that are around you.

Getting out of your wedding head, means that whenever you feel you might be running in that direction again, take your speedy shoes off, sit in lotus position and ask for a strong dose of zen vibes. You need it and so does everyone around you.

Featured image: Maleficent Movie Poster

assinatura_pv

***

No outro dia falava com uma amiga cuja melhor amiga se vai casar. Ao fim de 40 minutos a ouví-la e à sua profunda saturação pela infindável lista de exigências da noiva, comecei a pensar na facilidade com que algumas noivas passam de Noiva Feliz para Noiva Assustadora.

Foi nesse contexto que pensei em 7 sinais claros de que te podes estar a tornar numa Bridezilla. Sinais esses que não deves ignorar se queres manter família e amigos depois do grande dia:

  1. És (sempre) a única pessoa a falar em todos os encontros.
  2. Criaste um grupo de whatsapp e estás sempre a partilhar ideias.
  3. Tens uma (longa) lista de mimos para as tuas amigas te fazerem. Afinal este é o teu dia!
  4. Cada vez vez que te dizem “Não” fazes com que se sintam mal, dizendo “Mas este é o meu dia, só quero que seja perfeito!”
  5. Entras em histeria cada vez que algo corre mal.
  6. Exiges que as tuas amigas tirem dias de férias para te acompanhar nos dias antes do casamento.
  7. Deixaste de pedir “Por favor” e de dizer “Obrigada”, apenas exiges que se faça o que dizes e como queres.

Se estás a fazer 1 ou mais destas coisas, passaste para o lado das Zillas.

Mas se te lembras do titulo deste post era “…e como deixar de ser!”. E é assim que queremos terminar, deixando-te com a forma de parares este comportamento maluco. Não tenho uma lista gigantesca, tenho apenas uma coisa que deves fazer:

PÁRA DE AGIR COMO SE SÓ O TEU CASAMENTO IMPORTASSE!

Surpreendida por ser uma coisinha tão simples? Pois, na SRB gostamos de simplificar!

Porém, e ainda que parece algo fácil-fácil de fazer, não o é. Na realidade, o que isto significa é que vais estar atenta ao teu comportamento, vais controlar a tua ansiedade de falar o tempo TODO sobre o casamento, vais realmente ouvir a opinião dos outros, vais ter um discurso e atitudes positivas com os que te estão a ajudar, vais parar a tirania e, finalmente, vais permitir que este dia, este momento de união, seja alargado à família e amigos que estão do teu lado.
Libertares-te de uma atitude dominadora significa que, a cada vez que tiveres a inclinar-te para esse precipício, vais parar, vais respirar fundo, vais dar 10 passos atrás e voltar a comportar-te como uma noiva normal de quem os outros têm vontade de estar por perto.

Branding your wedding

Invitations Organization & Planning Wedding advices Wedding Inspiration

Branding your wedding

More than just having beautiful invitations or decoration, I’ll have to say I love the wedding branding tendency. But what exactly is branding a wedding?

In a general way, the branding is the way a brand places itself on the market, what it is, what it does for it’s clients and how it does it. Branding can include everything from a good logo, the slogan, the message, advertising and all the little details that are part of the brand’s services, such as packaging (and Apple is always a good example).

Above all, a good branding shows consistency at all times.

In a marriage, the process is very similar to the brands’, but some very specific characteristics are in order.

Here is how it works:

1- Choose theme and/or look – in Portugal we have the habit of creating themes for the couple, that adds some nice details such as the tables names instead of numbers and helps telling the couple’s story. If you don’t have a theme don’t worry, you can just focus on a specific look for you wedding. Formal or casual? Rustic or classic? At this stage, use and abuse Pinterest to gather ideas that will help you find your way.

2- Inspiration board – After setting the wedding style, you can start deciding what you want to use that translates it. This is the step of collecting information with the final topic in mind. Here you begin to decide colors, textures, the type of fonts you want to use… From here, finally, get up to make decisions about the appearance of the invitations, the flowers that you want, the color of the tablecloths and a bunch of other details.

3- Design! – Make way for the invitations, stationary and website for the wedding… and a Logo, obviously. I’m a firm believer that creating a simple logo or monogram to be used everywhere is awesome. A logo is always an important part of branding. From here you get to use the logo for all the wedding stationary, the colours for the decoration, for the cake, anything you can think of.

565351fa9e308$!x900

And that’s it! But is it me or there is something missing here?

I love seeing moodboards and all the styling choices, but I find it a little too simple. The way I see it, this is only the visual part. The first (and a bit hardworking) first part.

The most fun part that can (and should) be incorporated into all stages of this process starts with two simple questions: “How do I want to feel this marriage? How do I want to let people feel it too?”. In the world of branding, storytelling and identifying the customer’s desires are a constant concern. So why not applying them to a wedding as well?

A marriage that made me rethink these issues was the one of the Brazilian designer Johnny Brito, who, after years of a long-distance relationship, had chosen the theme “Enfim perto” with his wife, which can be translated as “together at last”, and using bird illustrations, something they both love, created from this simple concept. They also created beautiful work and utility objects that were a great part of their day. I specially like the personalized water bottles and fans, something so simple that makes a huge difference.

So let yourself be inspired.

Another marriage that touched me was the designer’s Michael Pippo (I know, another designer), which, based on how he met his husband at the airport, has created an illustration of that moment that became central to the big day and allowed the creation of elements related to the flying experience for the whole wedding. For instance, he created a combination of both names as if it were a flight code, which became the logo, motion sickness bags for the ceremony (the (e)motion sickness bags) , DIY elements for decoration…

Convinced? I bet you are. But that is not all!

I also have 4 tips for you to figure out How to Brand Your Wedding, and make it an even more memorable day:

  1. Plan the big day – Where will you be, the venues, the schedule for the ceremony, dinner, dance… Knowing that, will help you define your wedding experience. Look at the weather conditions. Sometimes something as simple as having umbrella in place on a rainy day can be just the thing that makes a difference. I know I missed it in a wedding I’ve been in the past.
  2. Think about the theme and how it can be incorporated in everything. Michael’s marriage is a great example, using the theme for everything: cupcakes with handmade paper airplanes decorating them, the food served in boxes like on an airplane, a sticker for the Logo, the ceremony begun with the captain welcoming all aboard and all!
  3. DIY – If you can, and to be more budget-friendly, there’s always a good idea to add some handmade and unique details. Gather friends to help you. But don’t exceed on this. It is better to have small things done with pleasure than a lot under pressure. A marriage requires hard work, no need to get overhelmed.
  4. Ask for help to people who are used to these things – a designer can help you think of different pieces you’ll apply to your brand, a wedding planner can help you organize the ceremony, and don’t forget the help you can also get from your suppliers and vendors. Share your ideas with them, your moodboards, and you will surely be surprised with what they can come up with to help you out.

And finally, whatever your budget is, don’t be afraid to take chances. If it is something that reflects you as a couple, it will always be important, and your guests will love it. And above all, have fun while planning your day.

Credits Johnny and Clarinha’s wedding:

Photography: Pri Câmara , Vanessa Acioly, Andréia Moura, Igor Pablo Augusto, Maria Clara Feitosa | Printing: YePrint (invitations and souvenir sketchbooks), Johny’s brave home printer | Cake toppers: Katya Tchernev | Decoration objects: Maria Clara Feitosa | Graphic design and illustrations: Johnny Brito | See more here

Moodboard: Angela from Saffron Avenue, seen on Style me pretty.

Credits Michael’s wedding:

Photography: Toy Piano | All paper goods made by Michael. See more on his blog.
Assinatura_JL

***

Mais do que ter um convite “bonito” ou uma boa decoração, cada vez mais sinto que a tendência de trabalhar um casamento como uma marca é uma excelente ideia. Mas o que é exactamente o branding no casamento? 

De um modo geral, o branding de uma marca é a forma como ela se coloca no mercado, quem é, o que oferece aos seus clientes e como o faz. O branding pode incluir tudo, desde um bom logo, ao slogan, à mensagem, passando pela publicidade e que se aplica em todos os pequenos detalhes que façam parte dos serviços da marca, como por exemplo o packaging (e a Apple é sempre um bom exemplo disso). 

Acima de tudo, um bom branding deverá apresentar consistência em tudo. 

Num casamento, o processo é muito semelhante ao das marcas, aplicado no entanto às suas especificidades muito próprias. 

Aqui está como tudo funciona:

1- Escolha de tema e/ou look – Em Portugal temos muito o hábito de ter um tema que traduza o casal, e daí derivam algumas peças ou simplesmente o nome das mesas. Mas claro que um tema não é obrigatório e podemos apenas cingir a escolha ao aspecto que queremos que o casamento tenha. Formal ou descontraído? Rústico ou clássico? Nesta fase, nada como recorrer ao Pinterest para recolher ideias e encontrar o caminho

2- Board de inspiração – Depois de definido o estilo do casamento, há que definir exactamente o que se quer. Esta é a fase de recolher informação com o tema final em mente. Aqui começamos a definir cores, texturas, o tipo de fontes que queremos… A partir daqui começam-se finalmente a tomar decisões quanto ao aspecto dos convites, às flores que se quer ter, as cores das toalhas de mesa…

3- Design! – Venham os convites, o estacionário, o site para o casamento… E um Logo, obviamente. Sou plena defensora da criação de logo ou um simples monograma para ser utilizado em toda a parte. Um logo é sempre uma parte importante do branding. E a partir daqui usamos o logo no estacionário do casamento, aplicamos as cores escolhidas na decoração, no bolo, em tudo o que nos lembremos.

E em traços largos é isto. Mas é só de mim ou parece que falta qualquer coisa?

Adoro os moodboards que vejo por aí, mas confesso que os acho um tanto simples demais. Para mim, isto não é TODO o processo de branding de um casamento, apenas a parte visual. 

A parte mais divertida e que pode ser incorporada em todas as fases deste processo deverá partir de duas perguntas simples: “Como é que eu quero sentir este casamento e como quero que as pessoas sintam este casamento?”. No mundo das marcas o storytelling e a identificação com os desejos reais do cliente são uma preocupação constante. Então porque não aplicá-los também ao casamento? 

Um casamento que me fez repensar estes assuntos foi o do designer brasileiro Johnny Brito, que, após algum tempo de namoro à distância, escolheu com a sua mulher o tema “Enfim perto” e utilizando ilustrações de pássaros, algo que ambos gostam, criou todo um conceito e uma panóplia de objectos, não só decorativos, mas também utilitários. Gosto particularmente das garrafas de água personalizadas e dos leques, algo simples, mas que faz uma diferença enorme. 

Outro casamento que me tocou é o do designer Michael de Pippo (eu sei, outro designer), que, partindo do tema de como conheceu o seu marido, no aeroporto, criou uma ilustração relativa a esse momento que se tornou central para o grande dia e permitiu a criação de elementos interessantes relacionados com a experiência de voar, criou uma combinação de ambos os nomes como se fosse um código de vôo que também se tornou no logo, saquinhos de enjôo para a cerimónia (os (e)motion sickness bags), elementos DIY para a decoração, enfim…

Vejam e inspirem-se acima.

Se querem ir mais longe com a vossa marca de casamento, ficam aqui algumas dicas:

  1. Criem um plano para o grande dia – Onde vai ser, os espaços, os tempos previstos para que decorram a cerimónia, o copo d’água, a dança… Sabendo o que vão fazer ajuda a definirem a experiência do vosso casamento. Olhem para as condições climatéricas e para os percursos. Às vezes algo tão simples como ter guarda-chuva a postos num dia de chuva pode ser muito marcante.  
  2. Pensem bem no tema e em como ele pode fazer parte de tudo. O casamento do Michael é de facto um óptimo exemplo, com uma série de elementos tirados do tema, sejam eles os cupcakes com aviões feitos à mão, a comida servida em caixas como num avião e com um autocolante do Logo, o oficiante da cerimónia vestido de piloto e um discurso de boas-vindas a bordo aos convidados.
  3. DIY – Se puderem, e para ser mais amigo do bolso, nada como acrescentar alguns detalhes feitos à mão. Reunam amigos e amigas com jeito para a coisa e aproveitem a partilha de ideias que daí vem. Mas não se excedam nem queiram fazer tudo. Mais vale ter pouca coisa feita com carinho do que muitas feitas sob pressão. Um casamento exige muito trabalho, não se sobrecarreguem.
  4. Peçam ajuda a pessoas habituadas nestas andanças – um designer pode ajudar-vos a pensar em peças diferentes, uma wedding planner pode ajudar a organizar a cerimónia, e não se esqueçam dos vossos fornecedores. Partilhem as vossas ideias com eles, os moodboards, e poderão ser surpreendidos. 

Por fim, qualquer que seja o vosso budget, não tenham medo de correr riscos. Se é algo que vos identifica como casal, será sempre importante para vocês e os convidados vão adorar. E, acima de tudo, divirtam-se a planear o vosso grande dia.

Pop rebel brides: Liv and Emma – “Bridewars”

Bridesmaids Organization & Planning Wedding advices

Pop rebel brides: Liv and Emma – “Bridewars”

I was watching “Bridewars” the other day. I love that movie and I watch it from time to time just to indulge myself when I’m alone.

If you did not see the movie, let me summarise it in a very simple way: Liv and Emma (Kate Hudson e Anne Hathaway) are best friends who become enemies when their weddings get scheduled on the same day. They get through hell organising their weddings while fighting each other, and Emma actually attacks Liv as they walk down the aisle.

They obviously make up in the end of the day, after a fight, some deep soul-searching and Emma finding out she wasn’t marrying the right guy after all, so she was able to stay for her friend’s wedding.

At first sight, there’s nothing rebel about that, just another girly girl movie. But then I thought a bit harder about it. Sure, they had regular, completely traditional weddings and all by the book.

MV5BMTc0OTUzODEyNl5BMl5BanBnXkFtZTcwNTkxMzUxMg@@._V1__SX1100_SY619_

But at the end Liv gets married and has her best friend equally dressed as a bride standing right next to her. Her wedding gets interrupted in the craziest way and they end up hugging each other and making up.They truly are best friends forever and nothing, not even a hellish planning  with sabotages in the middle, or an unexpected breakup can damage their friendship. And this is a most essential value to not lose your mind when planning your wedding.

Having your friends around, no matter what. That is rebel AND traditional. It’s just timeless. This is why I love this movie so much, despite of all the craziness.

Got your popcorn ready? 😉

Images credits: IMDB.com

Assinatura_JL

***

No outro dia resolvi ver o Bridewars. É um daqueles filmes que vejo sozinha apenas por gozo. É puro entretenimento. 

Se nunca viram o filme, é bastante simples. A Liv e a Emma (Kate Hudson e Anne Hathaway) são as melhores amigas do mundo até ao momento em que descobrem que os seus casamentos estão marcados para o mesmo dia. Podem então imaginar a inimizade a crescer ao longo do filme, durante o planeamento todo, enquanto se lutam incessantemente pelo (merecido) protagonismo  No final, a Emma chega mesmo a fazer uma “placagem” à Liv  quando ela caminha para o altar.

Obviamente que tudo termina em bem, depois de muitas zangas, algum soul-searching, e a Emma aperceber-se que não se ia casar com o homem certo, mas resolver ficar e assistir então ao casamento da amiga… vestida de noiva!

À primeira vista nada disto é rebel, parece apenas mais um filme de miúdas. Mas depois pensei um pouco sobre este assunto. Claro, elas não podiam ser mais tradicionais na organização dos seus casamentos, e tudo seguiu as regras do costume até aos mais ínfimos pormenores.

Mas no final a Liv tem a melhor amiga ao seu lado, igualmente vestida de noiva. O seu casamento foi interrompido da maneira mais louca possível, mas elas acabam a abraçar-se e fazem as pazes. São realmente as melhores amigas e nada, nem o planeamento infernal dos casamentos com sabotagens à mistura, nem o terminar de um noivado podem prejudicar a sua amizade. E este é um valor essencial quando planeares o teu casamento.

Mantém os amigos por perto, seja lá como for. Isso é rebel E tradicional. É intemporal. E é por isso que adoro o filme, apesar das parvoíces. 

Já tens as tuas pipocas prontas?

International Museum day: wedding inspiration

Ceremony Locations & Venues Organization & Planning Wedding Inspiration

International Museum day: wedding inspiration

Today is the International Museum Day and we at Sweet Rebel Bride thought about celebrating it with some inspirational ideas for couples who look for a different place for their wedding.

Have you ever thought of getting married at a Museum? Imagine your wedding in a cultural environment, where the past, the present and the future get together and in a place where possibly no one got married before… Yes, a wedding in a Museum is rebel and we have great news… you can do it in Portugal!!!

So we did some research and found a few museums in Lisbon open to weddings, and it is a pleasure to share them with you. And as Lisbon is the city of the 7 hills, we picked 7 museums we really love!

1. Carris Museum

Located in Alcântara, it provides an exciting journey through time, telling stories about the city and public transport (historic vehicles such as yellow trams and buses). This space is great for couples who look for an irreverent place where they can welcome a large group of friends and family or those who would like have a party in a typical Lisbon atmosphere (you can even catch a ride in an historic tram)

  • Capacity: 400 seated places and up to 1,500 stand-up places. The “Old Woodworking” space has capacity for 150 people. The “Nucleo II” space has a set of vehicles which can be rented. The outdoor space has 1,000 m2 and you can use an historical tram in the museum area.
  • Rental costs: it depends on the number of people and duration. However, for weddings, the average is € 3,500 + taxes. The rental of any room of Carris Museum implies exclusivity and independence, given that all the space is reserved for the event.
  • Wedding services: the museum only provides the space, catering, decor, audiovisual or other services are chosen by the customer. They can provide free car park with a limit for 82 seats.
  • Contacts:  Miguel Melo e Sousa (Tel: +351 213 613 087; e-mail: museu@carris.pt)

2. Cinema Museum/Cinemateca

Located in Rua Barata Salgueiro, it promotes cinema heritage and organizes movie cycles and exhibitions, a cinema museum, library, bookstore and a bar-restaurant. This space is excellent for couples who love cinema and are looking for a wedding theme related to their passion. Imagine a black and white photo shoot, classic cinema style, or a themed decoration related to your favorite movie ever? The museum has a restaurant called “39 Steps”, with a room area and an outdoor terrace.

  • Capacity: Inside room 60 seats | Terrace – 100 seats
  • Rental costs: You can choose a catering service, so the cost will vary according to your choices.
  • Wedding services: The catering is managed by the restaurant, and they have different options according to you preferences (they have vegetarian and vegan menus). They can also provide the flowers and if you prefer you can choose another vendor.
  • Contacts: Lúcia Boavida (39degrausrestaurante@gmail.com, tel: +351 966075614)

 

3. Museum-House Dr. Anastácio Gonçalves

Located in Avenida 5 de Outubro , it was built by the painter José Malhoa for his personal house and working studio in 1904. In this museum you can find painting, decorative arts, sculpture and a worldwide renowned Chinese porcelain collection. If you love painting, architecture and you dream about an intimate wedding this is the place for you. This museum has already hosted several events in the past, but your wedding might be the first! Can you imagine getting married in the old painting atelier of the famous Portuguese painter José Malhoa?

  • Capacity: 50 people (cockail). There is also a small terrace.
  • Rental costs: About 1.000€ (taxes free), but you can negotiate this price.
  • Wedding services: They don’t have partnerships with catering and decor vendors, you would have to manage that.
  • Contacts: Ana Anjos Mântua (email: divulgacao@cmag.dgpc.pt; Tel.: +351 213 540 923)

4. Communications Museum

Located in a 40s building in Santos, near Mercado da Ribeira, this museum is a true living Science and Technology atelier, where you can discover how fun it is to communicate! It’s a great place for couples who are part of the tech generation, who look for a futuristic environment, or for couples who were distant from each other at some point of their relationship… The museum has wireless connection throughout the entire space and if you have families or friends in different parts of the world who can not be present, maybe you will be able to connect with them live during your party 🙂

  • Capacity: The museum has several rooms with different sizes.  The “Tiles Room” walls are decorated with tiles and traditional Portuguese sidewalk, a small outdoor terrace for 100 people (cocktail) or 60 seats. The “House of the Future Atrium” allows 150 people (cocktail) or 90 seats.
  • Rental costs:  It depends on the event characteristics and the selected room. From €300,00 up to € 1.500,00.
  • Wedding services: The museum has a restaurant-bar which can provide the catering service but if you prefer, you can choose a different one. The other services will be managed by you
  • Contacts: Fátima Almeida (email: fatima.c.almeida@fpc.pt; Tlf: +351 926394624, +351 213935141)

5. National Museum of Costumes and Fashion

Located in Lumiar it was created in 1976. It brings together a collection of historical costumes and accessories from the 18th century to today. It is placed in a Palace and it has a Botanical Park called Monteiro-Mor. This place is wonderful for couples who love fashion, fashion design, decorative arts or for those who want a quiet and romantic setting, close to the city center but away from the city madness. The civil ceremony can be performed at the museum in a particular and conditioned space to public opening hours. The party can be held at the Museum Restaurant (Monteiro-Mor) set in a beautiful park with old trees.

  • Capacity: Up to 150 seats
  • Rental costs: The catering is managed only by the restaurant and the prices depend on the menu you choose.
  • Wedding services: Decor and other services can be managed by you.
  • Contacts: For the civil ceremony, contact the Museum – Vitor Oura (tel +351 217 543 924;  e-mail: vitoroura@mntraje.dgpc.pt). For the party, contact the restaurant Monteiro-Mor, Rita Câmara (Tel: +351 963 880 962 / 964 041 232, email: monteiromor@sapo.pt)

6. The City Museum/Lisbon Museum

Located in Campo Grande , it shows the evolution of the city from the occupation of the territory during prehistory until the beginning of the 20th century. The museum is placed in the Pimenta Palace, a summer palace framed by an old farmhouse. This place is ideal for those who wish an intimate wedding in a 18th century palace.

  • Capacity: 40/50 people, it has an inside room and an outdoor garden
  • Rent costs:  156 €/hour (taxes included), with a 2 hours minimum.
  • Wedding services: They only provide de place, you need to take care of the other services
  • Contacts: Câmara Municipal de Lisboa (Tel: +351 213 227 000 / +351 218 172 500, e-mail: casamentos.civis@cm-lisboa.pt)

7. Fado Music Museum

This museum is located in Alfama and it celebrates the exepcional value of Fado, a cultural symbol of Lisbon and the Portuguese music. This is a good place for those who are passionate about music and look for a typical Lisbon scenario listening to a Portuguese guitar.

  • Capacity: 90 seats
  • Rent costs:  156 €/hour (taxes included), with a 2 hours minimum.
  • Wedding services: They only provide de place, you need to take care of the other services
  • Contacts: Câmara Municipal de Lisboa (Tel: +351 213 227 000 / +351 218 172 500, e-mail: casamentos.civis@cm-lisboa.pt)

 

As a final recommendation, we suggest you visit personally the museums to feel the environment and decide if it’s the right place for your special day. When deciding about your wedding venue, be creative and think outside the box. Plan your party according to your passions and don’t forget: Your Wedding. Your way .

For adicional inspiration, visit our Museum Wedding Inspiration Pinterest Board

Credits: Feature Image: Asya Photography. All other photos were provided by the Museums public relation teams.

Assinaturas_MP

***

Hoje celebra-se em todo o mundo o Dia Internacional do Museu e na Sweet Rebel Bride não quisemos deixar passar este dia em branco. Hoje queremos inspirar aqueles que procuram um local diferente para celebrar o seu casamento.

Já imaginaram o vosso dia num espaço artístico, criativo e onde possivelmente ninguém ou quase ninguém casou até hoje? Um casamento num Museu é muito Rebel e temos boas notícias…é possível fazê-lo em Portugal!!!

Encontrámos em Lisboa alguns Museus receptivos a celebrações de casamentos e como Lisboa é a cidade das 7 colinas partilhamos 7 Museus que adoramos!

1. Museu da Carris

Fica em Alcântara e proporciona uma emocionante viagem no tempo, contando histórias da cidade e dos transportes públicos (veículos históricos como elétricos e autocarros). Este espaço é ideal para casais que querem um local irreverente onde podem juntar um grupo grande de amigos e familiares  ou aqueles que gostariam de fazer a sua festa num ambiente tipicamente lisboeta (há a possibilidade de andar num eléctrico histórico dentro do espaço do museu).

  • Capacidade: 400  pessoas sentadas e 1.500 pessoas num regime de festa sem jantar. O espaço “Antiga Carpintaria” tem capacidade para almoço/jantar com 150 pessoas. O espaço “Núcleo II”  é composto por um conjunto de viaturas de tração animal e elétrica, autocarros e polos temáticos que contemplam áreas oficinais. Os veículos podem ser usados para realizar viagens em regime de aluguer. O espaço exterior tem 1.000 m2 ao ar livre,  podendo ser efetuada uma viagem entre os dois núcleos do Museu num elétrico histórico de 1901.
  • Valor de aluguer do espaço:  Varia de acordo com o número de pessoas, duração do evento, tempo para montagens e desmontagens. No entanto, para casamentos o valor médio é de 3.500€ + I.V.A. O aluguer de qualquer espaço do Museu da CARRIS implica exclusividade e independência, atendendo a que todo o espaço alugado fica reservado para o evento.
  • Serviços: O museu aluga apenas o espaço, os serviços de catering, decoração, audiovisuais ou outros são escolhidos pelo cliente. É possível facultar a utilização gratuita de um parque para estacionamento de viaturas, com lotação até ao limite de 82 lugares.
  • Contactos:  Miguel Melo e Sousa (Tel: 213 613 087; e-mail: museu@carris.pt)

2. Museu do Cinema/Cinemateca

Fica na Rua Barata Salgueiro e promove o património cinematográfico. Organiza ciclos de cinema e exposições, dispondo ainda de um Museu do Cinema, arquivos, biblioteca, livraria e bar-restaurante. Este espaço é ideal para casais apaixonados por cinema que procuram uma temática relacionada com o mesmo. Imaginem uma sessão fotográfica, a preto e branco, ao estilo do cinema clássico, ou uma decoração relacionada com o vosso filme preferido? O Museu tem um Restaurante chamado “39 Degraus”, com uma sala coberta e um terraço exterior, onde é possível fazer a festa do vosso casamento.

  • Capacidade: Interior – 60 pessoas | Exterior – 100 pessoas
  • Valor de aluguer do espaço: O cliente contrata um serviço de catering cujos valores variam consoante o que se pretende.
  • Serviços: O catering é do restaurante, há vários menus consoante os gostos (também têm menus vegetarianos e vegans). As flores podem ser tratados pelo espaço ou pelo cliente.
  • Contactos: Lúcia Boavida (39degrausrestaurante@gmail.com, tlm: 966075614)

3. Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves

Fica na Avenida 5 de Outubro e foi mandada construir pelo pintor José Malhoa para sua casa de habitação e atelier de trabalho em 1904. Neste museu é possível ver pintura, artes decorativas, escultura e um acervo de porcelana chinesa de renome internacional.Este espaço é ideal para apaixonados por arte, pintura, arquitectura e que pretendam um casamento intimista. Este museu já recebeu vários eventos, mas o vosso casamento poderá ser o primeiro! Imaginem casar no antigo atelier de pintura do famoso pintor português José Malhoa!

  • Capacidade: 50 pessoas. Tem também um pequeno terraço.
  • Valor de aluguer do espaço: Cerca 1000€ para o aluguer do espaço (isenção de IVA), mas este valor é negociável e depende das características do evento e daquilo que se pretende.
  • Serviços: Não trabalham com empresas de catering e decoração, seria tratado à parte
  • Contactos: Ana Anjos Mântua (email: divulgacao@cmag.dgpc.pt; Tel.: 213 540 923)

4. Museu das Comunicações

Está instalado num edifício dos anos 40, na zona de Santos, perto do Mercado da Ribeira. Este museu é uma verdadeira oficina viva de Ciência e Tecnologia, onde podemos descobrir como é divertido comunicar! Tem um ambiente onde se sente o passado, o presente e o futuro. É um espaço é ideal para casais apaixonados pelas tecnologias que pretendam um espaço futurista ou casais cuja relação tenha sido marcada pela distância em algum momento da sua relação… O museu tem ligação wireless em todo o seu espaço e se houver familiares e amigos distantes em diferentes partes do mundo que não possam estar no evento, talvez seja possível fazê-los presentes através das novas tecnologias 🙂

  • Capacidade: O museu tem diferentes salas, com diferentes capacidades. A “Sala dos Azulejos” tem as paredes decoradas com painéis de azulejos e calçada portuguesa. Tem acesso a um pequeno pátio exterior com capacidade para 100 pessoas em formato cockatil ou 60 lugares sentadas. O “Atrium da Casa do Futuro” tem capacidade para 150 pessoas em formato cocktail ou 90 lugares sentados.
  • Valor de aluguer do espaço:  Depende do formato pretendido e do espaço escolhido. Os valores podem variar entre € 300,00 e € 1.500,00.
  • Serviços: O museu tem um restaurante-bar que poderá fornecer o catering mas não há exclusividade. Relativamente aos outros serviços (decoração, etc) teria que ser tratado à parte.
  • Contactos: Fátima Almeida (email: fatima.c.almeida@fpc.pt; Tlf: 926394624, 213935141)

5. Museu Nacional do Traje

Fica no Lumiar e foi criado em 1976. Reúne uma coleção de indumentária histórica e acessórios de traje, desde o séc. XVIII à actualidade. Está instalado no Palácio Angeja-Palmela e tem anexo o Parque Botânico do Monteiro-mor. Este espaço é ideal para quem gosta de moda, estilismo, artes decorativas ou quem pretende um ambiente tranquilo e romântico, muito perto do centro da cidade mas longe do reboliço. O casamento civil pode ser feito no Museu num espaço próprio e condicionado ao horário de abertura ao público e a festa pode ser realizada no Restaurante do Museu (Monteiro-Mor) inserido num Parque com clareiras e árvores antigas.

  • Capacidade: Até 150 pessoas no pavilhão neo-gótico, onde se encontra instalado o Restaurante Monteiro-Mor, bem como a esplanada e a tenda adjacentes.
  • Valor de aluguer do espaço: Não faz aluguer de espaço, o catering é sempre do Restaurante e os preços variam consoante as escolhas de menu.
  • Serviços: O catering é do restaurante, a decoração e restantes serviços o cliente pode tratar à parte.
  • Contactos:  Para a cerimónia civil, contactar directamente o Museu – Vitor Oura (tlf 217 543 924;  e-mail: vitoroura@mntraje.dgpc.pt). Para a festa, contactar o Restaurante Monteiro-Mor – Rita Câmara (Tlm: 963 880 962 / 964 041 232, email: monteiromor@sapo.pt)

6. Museu da cidade/Museu de Lisboa

Fica no Campo Grande e mostra a evolução da cidade, desde a ocupação do território durante a pré-história até ao início do séc. XX.  O museu está instalado no Palácio Pimenta, um palácio veraneio da primeira metade do século XVIII, enquadrado por uma antiga quinta senhorial. Foi construído no século XVIII. Este espaço é ideal para quem sonha com um casamento intimista, num palácio do século XVIII.

  • Capacidade: 40/50 pessoas, tem um espaço interior e jardim exterior.
  • Valor de aluguer do espaço: O custo da cedência do espaço é de 156 €/hora (IVA incluído à taxa legal em vigor), com um mínimo de 2 horas por cerimónia.
  • Serviços: Decoração e catering é tratado à parte
  • Contactos: Câmara Municipal de Lisboa, telefone: 213 227 000 / 218 172 500, e-mail: casamentos.civis@cm-lisboa.pt)

7. Museu do Fado

Este museu localizado em Alfama é consagrado ao universo da canção urbana de Lisboa e celebra o valor excepcional do Fado como símbolo identificador da Cidade. Este espaço é ideal para quem é apaixonado por música e sonha com um casamento tipicamente lisboeta, ao som de uma guitarrada de fado. 

  • Capacidade: 90 lugares sentados
  • Valor de aluger do espaço: O custo da cedência do espaço é de 156 €/hora (IVA incluído à taxa legal em vigor), com um mínimo de 2 horas por cerimónia
  • Serviços:  Decoração e catering é tratado à parte
  • Contactos: Câmara Municipal de Lisboa, telefone: 213 227 000 / 218 172 500, e-mail: casamentos.civis@cm-lisboa.pt

Como conselho final, recomendamos que visitem cada um pessoalmente, para perceberem a envolvência e se realmente se identificam com eles enquanto casal.

Ao escolherem o espaço para o vosso casamento, pensem fora da caixa. Escolham o aquele que melhor reflecte as vossas paixões a dois e lembrem-se: “O vosso casamento deve ser à vossa maneira”! 

Para mais inspiração, espreitem o nosso board de casamentos em museus.

Hug nature and new perspectives!

Organization & Planning Photography Wedding advices Wedding Inspiration

Hug nature and new perspectives!

When Dreamaker sent us this shoot she did and planned in São Miguel island, Azores, I couldn’t help but to shed a tear for her creativity. Since today is the international “Hug a tree day”, I decided it would be a good idea to use it but giving it, of course, a rebel twist.

You see, it would be too easy to just talk about nature, and invite you to spend more time outdoors, make a photoshoot in a park and even remind you of how important it is to have some alone time on your wedding day. Even if that moment is during your love session where you go away for a while with your photographers and videographers. But what if your nearby is a mass tourism nature spot and you feel like your first idea and what you have planned for over a year won’t work? You get there and its so jammed with people that it just takes away all the magic you have dreamed of?

0429_S+D-20404_S+D.1 0391_S+D 0065_S+D

So this post was made to inspire you to look at the other side of things, even if it is your wedding day. Do not give up. Marta José, aka Dreamaker arrived at Lagoa das Sete Cidades in São Miguel with a clear thought in her mind, and a beautiful couple to photograph. The day was amazing, and if you follow her work and portfolio, you know how she loves nature. Seriously, that is a tree hugger right there. But at the shooting location she had planned to do it, it all fell apart. “When we got there, there were just so many people! All of them trying to get the best selfies and crowding the views. What I had in mind couldn’t be done. I was feeling sad and disappointed, but then I looked in another direction and there it was: an abandoned hotel! We rushed inside and it was a true photographers dream. Our couple loved it as well, since though it was degraded by time, it still had the carpets, beautiful stairs and the light came in amazingly. You could feel the atmosphere”.

0043_S+D 0027_S+D

But it all got even better when she started to explore inside: “I found a room where the sights were really breath-taking. I could have never planned it, since I didn’t even know, but I am so glad my first plan didn’t work, because this was so much better in the end.”

0357_S+D 0338_S+D

“Then, we found the way to the rooftop, and it just made my day. Nature was all around us, even crawling to the hotel. Not only could we see the lagoon as we had the best view in the world to the entire surroundings. Oh, and absolutely NO people!”

0203_S+D 0210_S+D-2 0288_S+D-2 0221_S+D 0137_S+D 0119_S+D

As a last advice, Dreamaker left an inspiring message to our rebel brides: “Sometimes all it takes is changing perspectives to end up having something beautiful!” We at rebel would like to add something else to her wisdom: As much as you try to have everything planned to the last detail for your wedding, always leave time and an open mind to changes and things you didn’t see coming. Learning to let go in a few minor things can reveal true amazing surprises like this one Dreamaker found. This is a styled shoot, but imagine it being a real wedding. This couple won the most different, creative, loving photoshoot at their favourite place in the island. Yes, it was not at the “normal” sight seeing spot they thought of, but it just went so much better with the views! Even if you are not the “abandoned architecture” type of lover, being on that rooftop was so much better than having the photos at the lagoon near a group of tourists, right?

Also, besides being open to new unexpected things, trust your photographer and their eyes. If you chose him/her/them, it should be because you love their work, and this is something they do more often than you, probably, so let them do their art, enjoy every moment, spend some time with your newly spouse and you won’t regret a single shot!

Featured Image and following: Dreamaker

Assinatura_AL

***

Quando a Dreamaker nos enviou esta sessão dela, planeada também por ela na ilha de São Miguel nos Açores, não consegui não deitar uma lágrima de felicidade pela sua criatividade e gosto pela aventura. Hoje celebra-se o “Dia Internacional de abraçar uma árvore”, e achei que seria o dia perfeito para usar as fotografias dentro do tema, e claro, com um twist rebel à mistura.

Sabem, é que sinto que seria demasiado fácil simplesmente falar sobre a natureza, convidar-vos a passarem mais tempo fora de casa, marcarem uma sessão de fotos com a vossa cara metade num parque ou até mesmo relembrar-vos do quão importante é terem um momento só vosso no dia do vosso casamento, para pegarem no vosso marido e levarem-no para o jardim só para passarem uns momentos sozinhos. Até pode ser que esse momento seja durante a vossa sessão com os fotógrafos e videógrafos… mas e se ao chegarem ao local que tinham planeado ele não for, no vosso dia, aquilo que tinham imaginado? E se aquele miradouro lindo com que sempre sonharam estiver cheio de gente e isso começar a matar a magia do vosso sonho de há mais de um ano?

O post de hoje tem o intuito de vos inspirar a olhar para o outro lado das coisas, mesmo que seja o dia do vosso casamento. Nunca desistam. Não desanimem. A Marta José, aka Dreamaker, chegou à Lagoa das Sete Cidades com o seu casal e tinha já toda a sessão na cabeça. O dia estava maravilhoso e se seguem o trabalho dela, sabem que natureza é mesmo a sua praia. Está aqui uma verdadeira tree hugger. Mas lá, tudo o que ela tinha planeado começou a ir por água abaixo. “O miradouro estava apinhado de gente. Todos a tentarem tirar as suas selfies com a melhor vista. O que eu tinha planeado não seria possível e estava a sentir-me triste e desapontada. Mas depois olhei para o lado e lá estava: um hotel abandonado que nem nunca me tinha passado pela cabeça. Entrámos lá para dentro e o que encontrei foi um verdadeiro sonho para fotógrafos. O nosso casal também adorou, e o hotel, embora degradado pelo tempo, ainda mantinha a traça antiga, as carpetes, as escadas com personalidade e a luz era divinal.”

Mas tudo ficou ainda melhor quando ela decidiu explorar os vários andares e quartos: “Encontrei depois o quarto com a melhor vista de todas. Eu nunca poderia ter planeado aquilo e era das coisas mais bonitas que eu já tinha visto. Fiquei tão contente de o meu plano inicial não ter resultado. Isto foi tão melhor!”

“Depois, encontrámos o caminho até ao telhado, e foi aí que fiquei com o meu dia feito. Natureza por todo o lado, não só já misturada com o velho hotel, mas tínhamos a lagoa e todas as áreas envolventes até perder de vista. Ah, e não havia NINGUÉM à nossa volta”.

Como último conselho, a Dreamaker ainda deixou uma mensagem inspiradora às nossas noivas rebel: “Às vezes tudo o que é preciso é não desistir e olhar para as coisas com outra perspectiva para acabarmos com um resultado final ainda melhor”. Eu gostaria de tomar a liberdade de adicionar mais um conselho à sua sabedoria, porque um dia também já fui noiva, e sei o que é estar nessa pele: Por mais planos que façam para que o vosso dia esteja descrito até ao último detalhe, deixem sempre espaço para surpresas, para o improviso e para o inesperado. Aprender a largar algumas coisas e abrir a mente para outras que não esperávamos pode mesmo ser a chave para o dia mais inesquecível de sempre, e para detalhes únicos como este que a Dreamaker acabou de nos dar. Sim, isto não é um casamento real, mas imaginem se fosse. Este casal ganhou uma sessão diferente, criativa, e única na sua ilha e no miradouro de que mais gostam. Sim, não é exactamente no miradouro, mas acabou por ser tão melhor, simplesmente porque olharam para as coisas de outra forma e com energia positiva.

Por fim, confiem no vosso fotógrafo e nos seus olhos. Se o/a/os escolheram, e esperando que tenha sido por adorarem o seu estilo e trabalho, e sendo que eles fazem disto vida, deixem-nos conduzir-vos pela aventura e para experimentarem coisas novas. Deixem-se envolver pelo momento e aceitem seguir alguns caminhos diferentes do planeado. Aproveitem cada segundo a dois e não se vão arrepender de uma única fotografia.

 

Don’t blame it on superstition

Nightmares Organization & Planning Wedding advices Wedding Inspiration

Don’t blame it on superstition

I’ve been wanting to write something about superstitions and traditions for a while. And since tomorrow is the “blame it on someone else day” (crazy, I know), I thought it would be fun to talk about this. Because if there’s is an event prone to bad luck for the slightest little thing, that would be a wedding. And God forbid, if anything goes wrong along the way, maybe it was because you missed that one thing that would make you happy and untouched forever.

I believe that we make our own luck, and, although I find some superstitions very interesting and well-explained, I just take them for what they are. Superstitions won’t make or break our marriage.

What if you want to sleep with your husband-to-be the night before the wedding? Or would it bring any harm to the world if you don’t throw away your wedding bouquet? Or what would ever happen if you don’t wear white?

I believe we mixed up superstition with tradition and sometimes it just makes everything more confusing and difficult to keep up.

I say, do what you want, what makes sense to you. If there is a beautiful family tradition you want to keep up with, do it, if it feels right, don’t do it to make others happy. My mother’s bouquet had to go to my grandfathers grave from my father’s side because of some stupid tradition (or maybe someone decided that it would make sense at the time). But it didn’t, and she was so sad about it. On the other hand, a cousin of mine decided not to throw away the bouquet and dryed it to use in her home decor. I’m glad to say both weddings were happy, long, and fertile.

This much to say that, when it comes to weddings and love, I think taking responsibility for it, really comittting to find your voice as a couple will do. You don’t need to blame it on tradition, just don’t do what you don’t want to do. Nothing will stand in between you and your husband, but just as sure, nothing must come between you and your wedding.

Follow superstition, tradition, religion, as long as it is what you feel like.

And now just for fun, I want to leave you with some origins of my most beloved wedding traditions:

  1.  (I love this one) The tradition of using the wedding ring in the 4th finger of the left hand was because of the belief that through that finger crossed a vein that led directly into the heart;
  2. The veil tradition comes from ancient Greeks, as it was to protect the bride from evil spirits (I would be doomed, I don’t like wedding veils)!
  3. A bride that cries on her wedding day is a lucky one, because she won’t have reasons to cry during her marriage;
  4. The cake topper tradition came from Queen Victoria, who wanted to use small sculptures of herself and Prince Albert as a decoration in their 1840 wedding. Was she a rebel or what?
  5. Not seeing each other before the wedding day dates back to the days of arranged marriages, when couples met on their own wedding day, not to have second thoughts about it. These days we see so many photos of bride and groom just before the wedding begins (the thing called “the first look”), and I find it heartwarming. The surprised, even-more-in-love looks at each other. An 180º change to a tradition to mean the exact opposite.

Have a great day!

Check out some more traditions here, here, and here.

Featured Image: Luisa Starling

Assinatura_JL

***

Há algum tempo que queria escrever algo sobre superstições e tradições de casamento. E já que amanhã se celebra o dia de “pôr as culpas em alguém” (loucura, eu sei), achei que era interessante trazer este assunto à baila.

Porque se há evento mais susceptível a má-sorte, é precisamente um casamento. E ai de nós, se algo corre mal mais para a frente, apenas e somente porque nos esquecemos de seguir esta ou aquela tradição que nos colocaria numa intocada bolha de felicidade permanente.

Eu acredito que nós fazemos a nossa sorte, e , apesar de algumas superstições serem dotadas de simbologias hipnotizantes, elas são superstição. As superstições não vão sustentar ou quebrar um casamento. Apenas torná-lo mais divertido.

E se quiseres dormir com o teu noivo na véspera do casamento? Será que vinha mal ao mundo se não atirares o teu bouquet? Ou se não te vestires de branco?

Infelizmente penso que por vezes confundimos superstições com tradições e isso ainda baralha mais as ideias.

Na minha óptica, deves fazer o que queres, o que te faz sentido. Se há uma tradição familiar que te é muito querida e queres manter, força, mas fá-la por ti e não para satisfazeres os desejos de outrem. A minha mãe colocou o bouquet dela na campa do meu bisavô, do lado do meu pai, numa tradição ou um gesto forçado pela família dele. Ela mencionava este facto com tristeza,  e que apesar de ser um gesto bonito, para ela não fazia muito sentido. Por outro lado uma prima minha decidiu não atirar o bouquet  e secou-o e expô-lo em casa. Posso dizer que ambos os casamentos foram longos, felizes a maior parte do tempo e férteis.

Isto tudo para dizer que no que toca a casamento e amor, acho que tomar responsabilidade e encontrar a voz própria como casal deverá sempre ser o suficiente. Não precisamos de culpar a tradição, simplesmente não fazemos o que não queremos. Nada tem de se intrometer entre ti e o teu marido, e também nada terá de se intrometer entre ti e o teu casamento de sonho.

Segue a superstição, a tradição, a religião, só se realmente for o que queres.

E agora, apenas por diversão, ficam aqui as origens curiosas de algumas tradições mais enraizadas:

  1. (adoro esta) O anel de noivado e casamento é usado no 4º dedo da mão esquerda porque antes se acreditava que passava nele uma veia que ligava directamente ao coração;
  2. A tradição da noiva usar véu remonta à Grécia Antiga, em que se acreditava que este objecto protegia a noiva de maus espíritos (eu estaria tramada, não gosto de véus e não usaria um no dia do meu casamento);
  3. Uma noiva que chora no seu casamento pode considerar-se sortuda, significa que terá poucos motivos para chorar ao longo do matrimónio;
  4. A decoração no topo do bolo teve origem no casamento da Rainha Vitória com o Príncipe Albert em 1840, quando ela decidiu ter pequenas estátuas representativas dela e do seu noivo (era tao rebel esta rainha, hein?);
  5. Não ver o noivo antes do casamento remonta às épocas de casamentos combinados (bem sei que ainda hoje acontece, mas é uma tradição bem antiga), em que os noivos só se conheciam no próprio casamento, para não pensarem em fugir ao compromisso. Nos dias que correm, é frequente ver sessões fotográficas de noivos que se vêm momentos antes do casamento começar, e acho isto enternecedor. Uma mudança radical numa tradição que significa o exacto oposto. 

Tenham um dia feliz!

Espreitem mais tradições aqui, aqui e aqui