Wedding advices Wedding Inspiration

Why going on a honeymoon is so important to me now!

I am not a wedding expert but I write from the heart, and all my advice comes from my personal experiences, not because I believe I’m the queen of the wedding truth. I am not. I am just a girl who got married and is here to share her experiences, good and bad, so that maybe, just maybe, they might help someone on that side going though the same thing.

So today I’m talking about the fact that we didn’t go on a honeymoon right after our wedding, and of how now, looking back, I really regret it in many ways.

Planning our big day was exhausting. And as many girls out there, I was not just planning it and not doing anything else. I was still working and making my normal hectic life as a wedding photographer and small business owner. So when the time came, the wedding happened on a Saturday, on Sunday we cleaned the entire thing (DIY wedding), and on Monday I was already working, answering emails, editing. The next weekend I shot another wedding, and another on the next weekend, and so on until the end of October. After that, I edited everything and I never stopped to really have proper dates with Miguel. The end result? A burnout (because of all the needed rest), and post-wedding blues (because my “newlywed bubble” never actually happened).

The truth is, after the wedding we were also a bit broke, since DIY weddings can also go over budget, so we decided to postpone it. Big mistake.

Now that I come to think about it clearly, there were so many things I should/could have done differently:

  • I should have thought of it better, when we set the date, to leave the schedule empty for the next week. I just thought that since we couldn’t afford our dream honeymoon, I should just keep working (and I love my bride and groom from the next weekend with all my life, and I wouldn’t change it for anything, but you get the idea);
  • Even keeping the wedding from next weekend (which when scheduled would always happen, not just because I fall deeply in love with each of my couples, but because I am very serious about work), we should just have taken the week off until then, to soak in all the wonders of being newlyweds, even if that meant just staying at home for 5 days;
  • Not being able to afford the honeymoon of your dreams right after shouldn’t be the reason not to just do something simple like a small get away in a spa and save money for the big thing later on in the year or for the first anniversary;

Instead, I just blew up my “happy bubble” with normal-crazy-real-life-shock right after, and I really regret not having had that beautiful time with my hubby instead.

So my advice to you for after your wedding day is: JUST STOP. Enjoy the feeling of happiness you are going to have right after your party. You will really be flooded with love and happiness… a kind of love and happiness different from any other love and happiness you’ve ever experienced (believe me). So please make an effort to enjoy it and absorb all of that and transform it into a little beautiful love story of you two, even if it’s not the perfect dream honeymoon you had imagined. Do it small if you have to, but do it. Sleep until late, wake up to make love, eat, make love again, sleep. That’s what honeymoons were made for, the place is just a luxury that can be added in anytime in your life. But stopping to just enjoy your newly-hubby or wife right after you wedding is a one shot in a lifetime. Don’t let it slip away!

PS: We ended up going to Paris for 3 days, six months after and it was marvellous. We are now saving for a big trip for our 2nd anniversary that will hopefully be that dream we haven’t had the chance to live yet.

Featured Image of us: Dreamaker

Assinatura_AL

***

Eu não sou uma expert em casamentos mas escrevo do coração, e os meus conselhos aqui na rebel são simplesmente baseados nas minhas experiências pessoais, não porque me considero alguma espécie de rainha da sabedoria. Não o sou. Sou uma simples menina, que um dia casou e que hoje tem o objectivo de passar as suas experiências, boas e más, na esperança de que possam inspirar e ajudar alguém desse lado que esteja a passar pelo mesmo.

Hoje o tema tem a ver com o facto de que não fomos em Lua de Mel logo depois do nosso casamento, e do quão arrependida estou hoje disto… em tantas maneiras.

Planear o nosso grande dia foi exaustivo. E tal como acontece com muitas meninas como eu, não estive o tempo todo apenas dedicada ao planeamento sem fazer mais nada. Ao mesmo tempo continuei com o meu ritmo louco de vida enquanto fotógrafa de casamentos. Quando chegou a altura, casámos num Sábado, no Domingo limpámos tudo (foi um casamento DIY), e na Segunda-feira eu já estava a trabalhar, a editar, a responder a emails. No fim-de-semana seguinte fotografei um casamento, no outro também, e foi assim até ao final de Outubro. Depois disso, editei tudo e nunca parei, o que fez com que chegasse a Novembro e Dezembro com um esgotamento (devido ao cansaço acumulado), e com “depressão pós-casamento”  (porque a “bolha de recém-casada” nunca chegou a acontecer).

Eu sei que muito disto vem do facto de ter o síndrome do freelancer, que “se não trabalha não ganha dinheiro” e depois fica a deprimir sobre as contas que poderá vir a não conseguir pagar. Depois, e porque casamentos DIY também ultrapassam o budget, vimos que estávamos sem fundos para a nossa Lua de Mel de sonho, mas ainda assim, eu deveria ter sido mais responsável de tantas maneiras, nem que fosse pela minha sanidade mental:

  • Eu devia ter pensado melhor no assunto quando fechámos a nossa data tantos meses antes, e devia não ter marcado mais nada para a semana seguinte. Mas como vimos que poderíamos não conseguir pagar aquela Lua-de-Mel, decidi que continuar a trabalhar seria o mais acertado (e amo de coração os meus noivinhos da semana seguinte, mas sei que eles percebem o que aqui quero dizer. Não é nada contra eles, e sim contra mim);
  • Mesmo deixando o casamento do fim-de-semana seguinte, o que eu nunca desmarcaria, não só por amor a eles mas também por brio profissional, eu deveria não ter trabalhado logo a seguir durante a semana, só para poder apreciar e absorver os sentimentos felizes normais de uma menina recém-casada que viveu um conto de fadas. Mesmo que isso significasse ficar em casa sossegada com o marido;
  • Não conseguir pagar logo a Lua-de-Mel de sonho não é desculpa para não parar e fazer algo simples como uns dias num spa no mesmo país, e planear e juntar para essa grande aventura no ano seguinte.

Em vez disso, eu “rebentei a bolha” voltando de rompante à vida “normal” depois de um ano a trabalhar nisto, e arrependo-me de não ter tido aquele momento especial de romance com o meu agora marido.

Assim, o meu conselho de hoje para o vosso pós-casamento é que simplesmente PAREM JUNTOS, e que esqueçam o mundo que vos rodeia. Vão estar totalmente inundados de amor e felicidade. Um género de amor e felicidade que acontece uma vez e que é diferente a todos os outros tipos de amor e felicidade. Façam, por favor, um esforço para apreciarem e desfrutarem, e construírem uma pequenina história de amor só dos dois, mesmo que não seja naquele destino paradisíaco que tinham planeado. Façam algo mais pequeno se assim tiver de ser, mas façam-no.

Marquem essas férias, durmam até tarde, acordem para fazer amor, comer, fazer amor de novo. É para isso que foram inventadas as Luas-de-Mel, e o destino pode ser acrescentado depois, quando houver mais liquidez. Mas parar no tempo para aproveitarem este momento tão íntimo e especial para os dois acontece apenas uma vez na vida. Não o deixem fugir.

PS: Nós acabámos por fazer uma pequenina escapadela de 3 dias a Paris, seis meses depois do casamento que soube super bem. Neste momento, para compensar, estamos focados em juntar dinheiro para realizar o nosso sonho na altura do nosso segundo aniversário. 🙂

 


There is no ads to display, Please add some

Leave a Comment

Comments (3)

  1. Palavras sábias. Há quem ponha muita pressão em fazer uma viagem enorme na lua-de-mel mas custava-nos imenso pensar em gastar o dinheiro e chegar a casa e ter electrodomésticos a precisarem de ser comprados, um sofá para nos sentarmos e esturrar o dinheiro todo numa semana não nos parecia sensato.
    Assim estabelecemos um orçamento pequenino e pegámos nas nossas coisas e fomos sem destino até Espanha, conforme nos apetecesse. Assim, quando acabasse o dinheiro, voltávamos a casa. E assim foi! Nas calmas, sem pressas, sem destino marcado e hora para chegar fizemos as coisas ao nosso ritmo.
    Nestes últimos anos já viajámos tanto mais e fizemos coisas que nunca imaginámos possíveis e consola-nos saber que, apesar de não fazermos a viagem dos sonhos na altura, tirámos tempo para nós. E que os sonhos vieram com tempo e com um bolso mais confortadinho.